sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Então...

A Simone já parou de cantar pra vocês? Pra mim não, trabalhar em shopping dá nisso... mas dá também passagem direto pro céu, sem escalas, certeza.

Polêmica gente, que isso?! Ninguém é obrigado a gostar do que todo mundo gosta, de Natal principalmente, isso se chama demoracia, liberdade de expressão, sacumé? Só se ofende quem quer, ninguém é obrigado a ler.

Não vou publicar nenhum texto desaforado de final de ano, porque já disse que concordo com a moça do texto da semana passada, a passagem de ano não existe e talecoisa, vai dizer que por um algo que ninguém sabe explicar, a passagem de ano tem algo de diferente de uma noite pr'um dia qualquer?! Tem nada, nossos projetos e sonhos construimos sempre, não se iluda achando que um ano zerado é 'mágico'. Até onde eu sei guerras e dívidas não respeitam ano novo.

Sim, nada romântica e muito pé no chão, não consigo ignorar as mazelas que seguem acontecendo besides Natal, "ano novo" e o que vier então.

Não é falta de amor, não é falta de soliderariedade, pelo contrário (vocês viram este site? Listaram vários presentes de Natal estúpidos e inúteis que as pessoas compraram e mostram que a grana deles daria para causas muito mais nobres), repito: reunir família, agradecer a Deus e ajudar ao próximo pode ser o ano todo viu?

Enfim, venho mais pedir cuidado e atenção, maneirem nas bebidas e nas comidas, por que não?, atenção e cuidado nas viagens, curtam uma festa bacana e divertida, como qualquer outra do ano todo, e até semana que vem.

P.S.: Para descontrair (ou não, porque há categorias f*d*s), a enquete dos piores do Kibe Loco), que por questão de ordem, é anual para não acumular as... 'proezas'.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Trailer. Da temporada 4 de Lost. Estou quicando e vou arder no mármore do inferno porque nem a 3 eu vi (mas já li tu-da, já sei tu-da que acontece; sim, inclusive Kate e Jack... então; mas é diferente ver né?). Ai.

***
Feliz natal pra todos hein. Como Ggeleca já disse ontem, não adianta blá blá blá nenhum, só espero que todos tenham em mente e no coração agradecer a Deus por Jesus ter estado entre nós (para os que crêem, craro), e pela união que o Natal pode proporcionar. Por mim, isso se faz (e faço, não sou hipócrita) o ano todo, o tempo todo, mais de uma vez por dia, não carece de chegar o Natal para dar desculpa de se reunir, de demonstrar carinho ou dar graças a Deus. Enfim, fica um texto que nem de longe é meu, de tão bão, sobre tudo o que o Natal provoca nas pessoas, ao meu ver e ao ver da autora.
Fartura pra todos e ótimo Natal (apesar dos pesares e blá blá blá).
Quero declarar publicamente que estou sem-saco. Não o saco orgânico, aquele que se convencionou chamar 'saco': o saco enquanto idéia de capacidade de lidar com a situação. Abomino natal. No natal, fica tudo verde-e-vermelho, faz um calor do cão e o boneco do senhor idoso está por tudo, usando peles e gorros e lãs e barba. As lojas enchem, os shoppings enchem, as ruas enchem, o trânsito enche, tudo enche e quase transborda - e tudo no calorão abafado varzeano dessa cidade aqui. Fica um monte de gente se empurrando e se olhando com cara feia, pensando que tem que comprar o presente para milhões de milhares de pessoas, inclusive para a desgraçada da fulana irmã do primo da ex-namorada porque, afinal, é natal. E dê-lhe gastar o décimo-terceiro, o cheque especial, o limite do cartão de crédito, em nome da aquisição de presentes (na maior parte das vezes inúteis) que damos para pessoas para quem, a bem da verdade, queríamos dar um grandecíssimo e glorioso *F@DA-SE* em letras garrafais. As criancinhas gritam e correm e choram ALTO, contagiadas pela angústia do calorento climão natalino. As crianças mais velhinhas pedem mundos de pilhas de coisas para a mamãe, para o papai (às vezes pedem para ambos, dizendo 'ah, se você não me der, vou pedir para a mamãe/o papai', aproveitando que a família, hoje em dia, compõe-se de filhos + pais divorciados, que não raras vezes usam o poder aquisitivo para arrebanhar o filho, demonstrando para o ex-cônjuge que "eu-sou-legal-você-não-é-e-ele/ela-gosta-mais-de-MIM!"), as mamães e os papais já premidos pelo fenômeno na multiplicação exponencial do trabalho no final de ano ficam ainda mais aflitos e berram, aí as crianças choram, e é tudo uma enorme babel de ruído desagradável e ALTO, num calor desagradável e úmido, no meio de um monte de gente desagradável e mal-humorada. Abomino fim-de-ano. Não porque o ano chegou ao fim, pois não vejo o decurso do tempo como anos que começam, transcorrem e acabam: o tempo é uma coisa só e foram as pessoas que julgaram conveniente criar uma divisão ficta para o indivisível. Essa divisão foi feita principalmente para que as pessoas possam acreditar em um 'amanhã', que é algo que não existe. O tempo é como um tricô que se faz à medida que o vivemos - e que se desmancha à medida que passamos por ele. Não há como chegar ao 'amanhã', porque 'amanhã' não é um lugar de onde você entra-e-sai, como a casa da mãe joana. O 'amanhã' é uma idéia, uma expectativa, que pode perfeitamente não se realizar. Assim como o 'ontem' é algo que já deixou de ser (às vezes, há muito tempo), e nós é que ficamos pensando nele e falando dele na tentativa de trazer para o 'agora' (esse sim, existe) coisas que não existem mais. Mas tergiverso. Voltemos. As pessoas ficam malucas porque o que se convencionou chamar ano está chegando ao que se convencionou chamar o seu fim, e aí querem fazer em um único período de tempo tudo o que não fizeram em outros onze períodos idênticos. Que é para entrar no novo ano sem pendências e poder fazer novas resoluções de ano-novo. Que igualmente não serão cumpridas e levarão o auto-compromissado à loucura quando chegar o último período do so-called 'ano'. (Veja, não estou me revoltando contra a contagem de tempo. É necessário contar o tempo porque se convencionou que seria feito assim. Penso, porém, que a contagem do tempo pode perfeitamente ser uma coisa técnica, que não interfira de modo tão pouco coerente na nossa subjetividade. Há uma diferença entre assumir que hoje é o dia 27 de novembro de 2007 e ficar completamente transtornada porque o 'ano' chegou ao 'fim' e não fiz tudo o que queria.)Manifesto, portanto, total estado sem-saco. Estou sem-saco para fazer maratonas presentíferas. Sem-saco para ficar pululando em lojas entupidas de gente na tentativa de comprar coisas para a casa, coisas para a ceia e lembrancinhas generalizadas. Sem-saco para pessoas que ficam batendo na porta da casa e pedindo o natal das crianças pobres, o natal dos lixeiros, o natal dos garis, o natal de quem quer que seja. Sem-saco para mandar cartões de 'feliz natal e próspero ano novo'. Sem-saco para as musiquinhas natalinas que tocam insistentemente em tudo que é lugar. Sem-saco para decorações com luzinhas, quer pisquem ou não. Sem-saco para ficar soterrada de tarefas porque o período chamado 'ano' chegou ao que se resolveu chamar 'seu fim'. Sem-saco para arrumar a casa porque 'é fim de ano'. Sem-saco para, em suma, realizar em tempo recorde o que devo fazer e não fiz até agora por muito boas e justificadas razões que só a mim dizem respeito. Não, eu não sou uma pessoa legal. Mas isso vocês já deveriam estar sabendo.
Coluna: Criada de Madame, por Sua Criada, às 13:32 de 27.11.2007 "

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

E no final de ano...




sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Poizé


Caiu a CPMF. Uêba! Eu não uso cheque nem nada mas fiquei feliz, sei que esse impostinho acabaria sobrando pra moi algum dia (se já não sobrou). Sem contar que graças-ao-bom-Deus nunca votei no figura acima mas que eu puxe pela memória, foi um dos carros chefes no bãozão para se eleger dizendo que acabaria com o tal impostinho.
E quem o governo acha que engana dizendo que iria colocar to-da a verba arrecadada com o tal impostinho na saúde do país? Uai, e já não era pra ser assim, minha gente? Se não foi até anteontem não era a partir de ontem que iria passar a ser, né não? O povo já faz uma força danada pra acreditar no papai-noel que dirá pra crer numa balela dessas, vê lá!
***
Aí que no dia que foi anuncida a Copa de 2014 pro Brasil-il, fiquei fula e tals e não publiquei aqui, porque não era meu dia e no meu dia daquela semana acabei sem tempo.
Aí vai que cai o estádio na Bahia matando e ferindo muita gente.

Aí foi que até o Maracanã já despendou um dia.

Aí a gente pensa que to-do o dinheiro que vai ser gasto para dar uma garibada no visú do país para a Copa ser perfeita, ""do Brasil"", whiskas sachê, eu cá penso com meus botões: e os 12 milhões de brasileiros que não sabem se alimentar de futebol e vivem na miséria? E os outros milhões que passam fome todo-santo-dia? Sou eu a maluca de achar que seria muito mais razoável e humano pensar nisso do que pensar na merda do futebol?

***

Eu sei, vai haver um monte de gente falando que o Brasil vai melhorar, que a Copa vai ser boa, que muita gente vai ganhar emprego com as reformas e construções de estádios, que a turistada estrangeira vai abusar mais ainda da criançada miserável brasileira gastar mais ainda aqui... Aqui ó, uma ova! Acorda galera, só o Brasil acredita que futebol dá alguma coisa, só o Brasil deixa de trabalhar para ver jogo de futebol, o resto do mundo é normal.

***

Não, não odeio, amo o Brasil. Mas está fácil me decepcionar com meu país. 'Tô querendo ser adotada pela Espanha pra poder manda Chávez calar o bico.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Bão, então

Voltando ao meu dia 'oficial', arrancando essa notícia do primeiro lugar da fila sem contar que eles mantiveram os reféns até às 17h da tarde desde a 1h da matiola..., vamos falar de quê hein?

De novela, craro!

Vejo pouco, confesso. Mas o que sempre rende bosts no mínimo divertidos :P . Há algumas que só de ver propraganda no plim-plim já rende algo, espia só.

***

Uma amiga veio dizer que a Grobo quer sacanear (sem trocadalho) os padres, porque a emissora é espírita, etc e tal, whiskas sachet. Eu não discuto essas coisas com ela porque é a pessoa mais cabeça dura que já conheci até hoje nos meus mingüados 23 anos. Mas veja só, que mal há? Padre é gente, deixa o padre dá uns amassos na 'moça bonita', hipocrisia dizer que padre não tem sentimentos e não pode revogar os próprios votos, Jesus compreende, tenho certeza. (E que ninguém venha me dizer que com um padre daqueles, até eu... isso não pode, porque até eu mesma he he).

***

Na novela das 19h eu já cansei e meio Brasil-il idem: as mãozonas da Priscila Fantin, os vestidinhos-inhos dela que são como camisola (e são só cor e tecido de camisola, pó repará), merchandising a dar com rodo, Giannechini entediaaaaantedo (com trocadalho), Giovana de peruca. Nhão, acaba logo essa joça pra zoar a próxima ho ho.

***

Novela das 21h 20h, coisinha mais nas côxas, né não? A Susana pagando de Barbie Idosa, a Aline Boca-de-Coringa Moraes pagando peruca (porque aquela franja, minha fiiiilha, está me-do-nha), a Debora Cabeça Falabela com aquele corte de cabelo horroroso-é-apelido (desde quando cabeleireira ruim entrou na moda? Na minha época cabelo que saía do salão uma ponta mais alta dum lado que dou outro e com franja caminho-de-rato dava processo!), Fagundes fazendo o Pedro da Boléia de bigodón Village People contracenando *cof!* com a Marília Gabriela que é um primor, já repararam? (alguém pode me esclarecer quem foi que disse pra ela que ela pode tentar ser atriz? Né possível que 'só' ser jornalista 'do cacife dela' não dá grana suficiente! Ah vá...), Flávia Alessandra grudada no cano como se fosse bonito, Marjorie Estiano que se não deixar de ser fanha, não sei não.

***

Bão mesmo só "O Sistema". Miacabo com Selton. Ô hômi bão.


***

Gentem, e o trailer de "Sex and The City" que saiu?!

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Criminosos mantêm reféns em lanchonete do interior de MG

Sem querer invadir mas já invadindo o espaço da Shu, sim Poços está apavorada. Não bastasse isso se repetir dia após dia nas capitais, agora aqui, isso acontece.

Sim, estamos apavorados, nunca a cidade passou por nada parecido.

Sim, tenho amigos que trabalham ali perto, e não sei como eles estão.

Sim, eu também trabalho em comércio, imaginem que delícia vai ser a tensão dos próximos anos dias de trabalho.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Cansada...






Tem dias que a gente se sente tão cansada, não? Nada demais acontecendo, as crianças estão bem (Rique ficou incomodado com os dentes que estão nascendo, mas nada fora do normal... febrinha, chatisse, grude na mamãe, sono agitado), final de ano chegando, tarefas acumuladas (também nada anormal)...

Mas tem dias que a gente se sente tão cansada...

Bjks,

Marcia

sábado, 1 de dezembro de 2007

Vivendo e aprendendo

(sobre vááááárias coisas)
* Nem sempre o certo é o melhor
* O tempo é o melhor remédio
* Não se pode dizer que gosta de algo sem antes experimentar
* Quando eu tinha 20, achava que com 30 estaria velha. Hoje com 30, acho que com 40 serei um mulherão
* Sexo sem compromisso só da certo pra quem não tem compromisso com nada
* Não é só comida que alimenta.
* A gente se engana com as pessoas, mas não podemos deixar que as decepções deixem a gente com mania de fazer pré julgamento das outras pessoas
* Pau que nasce torto, se endireita sim
* O mundo não acabou só porque quem você ama não te ama
* Não é impossível passar do manequim 48 para o 42
* Não é feio mudar de opinião
* Dinheiro na mão não é vendaval. É furacão.
* O seu certo pode não ser o certo de outra pessoa
* Já que tem que fazer algo, que faça bem feito, mesmo que não goste do que tem que fazer.
* Não importa como nem quando, mas se você faz algo errado, um dia vai pagar por isso.
* Sentimento não é brinquedo. Não brinque com os de ninguém. Certamente chegará a hora em que alguém brincará com os seus.
* Não adianta ficar bravo com Deus se você diz "faça sua vontade", se a SUA vontade for outra.


* Isso não é um manual, mas se você achar certo alguma coisa que eu disse, pode pegar pra você e aplicar na sua vida...Beijos!!!

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

O que você faria com 22milhões de reais?

Oi galera!
O que vc faria com R$ 22.000.000,00? É muito dinheiro? Pensa bem...
Prá nós, mortais que suamos a camisa para ganhar os trocos, é muita grana... dá prá ajudar muitas pessoas que precisam, dá prá comprar aquele "apê", aquele carro, planejar aquelas viagens... se souber fazer, dá prá parar de "ralar" e curtir a vida. Sem esquecer que as crianças não podem parar os estudos... mas dá prá fazer muita coisa, não?
Bem, prá quem já está sonhando e planejando, não se esqueça de jogar na Mega-sena, que está acumulada e deverá pagar esse valor na próxima quarta feira.
Bom, caso você queira um comparativo... Bil Gates tem uma fortuna de USD 56Bilhões... isso dá só um "pouquinho" a mais que a mega-sena, hein? rsrsrsrs
Mas enfim, temos várias histórias de pessoas que ganharam fortunas (claro, para nós, pobres mortais) e perderam tudo ou até mesmo a vida (isso é muito triste, não?)
Temos o triste caso de Renê Senna, que foi morto, provavelmente pela esposa, para ficar com a grana. Temos outros tantos casos de esposas/maridos que pedem divórcio e reclamam metade da fortuna. Temos infinitos casos de pessoas que começam a gastar, doar, emprestar e acabam com menos do que tinham antes do prêmio (pessoas chegaram a morrer do coração por conta de problemas com dívidas após o prêmio).
Enfim, é um sonho bom pensar no que faríamos com tanta grana... mas caso vc ganhe, seja cauteloso.

Lembre-se : "O que traz felicidade não é o dinheiro. Dinheiro traz conforto."

Bjks com carinho,

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Um poemex....

Como não deu tempo de pensar em nada pra hoje, resolvi apelar, escrevi um Poemex*.

Palavra-Chave: macarrão

Hoje não é domingo,
o dia do cachimbo.
Tampouco sexta-feira,
o dia da saideira.
Hoje é quinta
E eu vou comer macarrão.

* Poema instantâneo, que geralmente não faz sentido algum.

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

É cada uma que acontece...



Oi galera,

Estava lendo as
notícias bizarras sobre coisas que acontecem... nem dá prá acreditar:
- Mulher atropela as próprias pernas nos EUA;
- Mulher é esquecida dentro de aparelho de tomografia;
- Alce pensa que é vaca e se recusa a abandonar rebanho;
- Gambá prende cabeça em pote de vidro e é salvo por policial;
- Grito de papagaio faz homem pegar ladrão na garagem de casa;
- Polícia encontra vaso sanitário gigante com rodas no meio da estrada;
- Garrafa de água vem com pele morta e papel higiênico de propósito;
- Garoto se cansa de broncas e inventa 'levantador de tampa de privada';
- Garçonete é multada por esmagar latinhas com os seios nus;
- Governo da Noruega ‘caça’ macarrão com formatos eróticos;
- Homem se casa com cadela na Índia;
-Vaca cai de penhasco e quase mata casal nos EUA;
- Hotel britânico lança manual para combater sonâmbulos pelados;
- Holandeses acordam com 'invasão' de bananas em praia.


E as leis inglesas? só rindo mesmo:
- Lei inglesa permite que grávida urine no capacete de um policial;
- É proibido usar armadura durante as sessões do Parlamento;
- É proibido dar o último suspiro no Parlamento (nada de morrer lá, senão você poderá ser preso...);
- É permitido às mulheres trabalharem com os seios de fora, desde que sejam funcionárias de uma loja de peixes tropicais, em Liverpool;
- É permitido matar um escocês na circunscrição da antiga cidade de York (norte da Inglaterra). Desde e somente se usar arco e flecha, que fique claro.
- É ilegal não dizer ao preceptor o que não se quer que ele saiba, mas sendo legal dizer o que não se incomoda que ele saiba (hein???).

Tenham todos uma ótima semana!

Bjks,

domingo, 18 de novembro de 2007

Orgulho "burro"

Passa a matéria no programa jornalístico sobre o quanto as mulheres que trabalham fora ainda se dedicam mais aos afazeres domésticos e aos cuidados com os filhos do que os homens.
Aí o colocam na função que, no dia-a-dia em família, ela quem assume. Ele esquece o suco do lanche da filha, compra de “presente” do dia das crianças uma nova calça de uniforme, “regula” o dinheiro do lanche e prepara refeições que se baseiam em macarrão instantâneo e empanados que “dizem” ser de frango!
Ao final do dia, chega a mãe, e pergunta à filha algo mais ou menos assim:
-Querida, quem você acha que cuida melhor de você, que supriu suas necessidades durante o dia?
A menina, logicamente, respondeu:
-Você, mamãe!
E a mãe, com o ego inflado, retruca:
-Você acha que dá para ficar com o papai, assim como hoje, de vez em quando?
E o “tiro fatal”
-Não!.
A mãe sorri!
Isso... Continue sorrindo. E então repita toda essa função a cada dia, mãe, dona de casa, mulher, profissional.... E continue assim, orgulhosíssima em carregar o mundo nas costas! Afinal, é melhor ter do que se queixar, já que ninguém faz tão bem, mesmo...
Assim, matêm-se os maridos/pais que comodamente continuam
a pouco contribuir nessas rotinas ditas familiares.

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Não posso

Fazia tempo que eu não postava nada sobre o JAAL (seção "Jesus, apaga a luz!" do meu cafofo), porque não me inspirava em ninguém para isso.
Figurinha repetida não completa álbum, mas eu simplesmente não posso com uma fota dessas, com um hômi desses. Áfe! Quem resiste? Eu não.
O Meu Henrique vai me desculpar, mas Javier Bardem é Javier Bardem.

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

We are the world

Pois é, quem se lembra dessa música? Ela fazia parte da Campanha para arrecadar dinheiro e ajudar os países pobres da África. 22 anos depois nada mudou, os pais estão lá, na maior miséria e não há música que pareça dar jeito, é uma questão política mesmo.

Ontem eu vi o clipe e, se a situação na África não mudou, as pessoas que participaram da campanha certamente mudaram, e muito. Michael Jackson ainda tinha muita melanina na pele e usava meias de lantejoulas. Cindy Lauper era a sensação e a Madonna nem estava no clipe. O Ray Charles ainda estava a vivo...mas não enxergava mesmo. O Bruce Springsteen estava um gato, diga-se de passagem. Essa que vos escreve tinha um monte de dentes de leite e mal sabia escrever o nome.

O Brasil também fez uma campanha similar.A versão brasileira se chamou Nordeste já, e como a original, não resultou em nada. As pessoas do nordeste, como as dos países africanos, continuam às margens, passando fome e rezando para um futuro melhor...que nunca chega.

Clipe do We are the world

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Uma história com final feliz...


Oi galera!

Um menininho de 5 anos, que se intitula "filho do Homem Aranha" salva uma nenem de 1 ano e 10 meses de incendio.
Ficou famoso...
Ainda bem que tudo deu certo...
É por essas e por outras que sempre explico aos meninos que os "super heróis" só existem na TV.
Pensem no que podia ter acontecido!
Quantas crianças já morreram por estarem vestidos de super homem e acharem que podem voar?
As crianças têm uma imaginação muito fértil... temos que tomar muito cuidado.
Mas fico muito feliz que essa história teve final feliz!
Bjks
Marcia

domingo, 11 de novembro de 2007

E aumenta a Família 7x7...


Geralmente, desde pequenininhas nós, meninas, já vamos nos acostumando em meio as bonecas. Minha “boneca bebê” foi a Mariana, que ganhei logo que minha mãe engravidou da Dê. Esperta ela, que pretendendo evitar ciúmes da irmãzinha que em breve chegaria, apareceu com aquela bonequinha (“Minha Filhinha”, menor do que o “Meu Bebê”, boneca famosa na época, mas enorme para a criança miúda que eu era), de quem eu aprenderia a cuidar para ajudá-la, posteriormente, nos cuidados com o novo bebê da casa. E eu adorava! Tanto brincar com a Mari, quanto ajudar a cuidar da Dê.

Finalmente, mais de vinte anos depois, a notícia de que “ganharei” um novo bebezinho. Agora não mais de brinquedo e nem “emprestado” da minha mãe. Este já é meu, “de verdade”, e do Xande. Nosso pimpolhinho já está entre nós, embora ainda do tamanho de um grãozinho de arroz, conforme o médico! Rs... E, como o 7x7 é uma família, formada também por aqueles que aqui constantemente nos visitam e, como bem disse a Shu, também nos incentivam a continuar, venho compartilhar essa notícia nesse espaço. Afinal, não é o primeiro bebê do 7x7, que o diga o Henrique!

Se esse serzinho tão minúsculo, mas infinitamente amado será um menino ou uma menina, ainda é cedo para saber. Mas a certeza que já temos é a de que Estevão ou Alissa já nos traz alegrias...

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Esse tal de Hitchcock...


Toda vez que eu assisto um filme dele fico mais impressionada como são bons. Acho que todo mundo teve a chance de ver pelo menos Psicose e Janela indiscreta, não é? Mas vale a pena ver os outros porque eles sempre têm uma lição para nos ensinar:

"Os pássaros" - vai fazer você aprender que lugar de passarinho é voando e não dentro da gaiola. E quando vários deles estiverem voando, pode correr...é encrenca na certa.
"Frenesi" - ensina como é importante desconfiar de quem usa gravatas coloridas demais...rs.
"Um corpo que cai" - mostra que é muito mais seguro estar em terra firme do que pendurado numa ponte ou perto de um sino.
"O homem que sabia demais" - Quando alguém resolver te contar um segredo importante, por favor, mude de assunto.
"Janela indiscreta" - se quebrar a perna, arrume umas palavras cruzadas para fazer e não vá vigiar a vida dos seus vizinhos. Vai ver novelas.
"Psicose" - tranque bem a porta quando for tomar banho, principalmente num hotel esquisito.
"Festim diabólico" - Nunca vá a uma casa que tenha um baú na sala e, se for, abra-o antes de qualquer coisa.
"Disque M para matar" - alguns amigos vão pedir dinheiro emprestado, outros seu carro e para uns outros mais folgados, apenas diga NÃO, para qualquer pedido que façam.

Os outros filmes eu ainda não tive chance de ver, mas assim que possível, atualizarei minha lista e descobrirei mais ensinamos para a vida toda.

Se alguém se interessar, bom proveito, vale realmente a pena.

terça-feira, 6 de novembro de 2007

PSIU! RAPIDINHAS

O 7x7 está pensando em se aposentar. Você vai deixar?

Parabéns Aninha linda, nós estamos contente por vocês...rs...depois o "por que" você conta para a galera...rs

O Léo está firme e forte na nova escolinha que lutamos tanto para ele conseguir uma vaga. A classe é uma gracinha toda decorada, enorme e tem até banheiros, amários para os alunos, setor dos computadores e uma mini cozinha. Ele entra às 8 horas e os primeiros 15 minutos os pais podem ficar na sala lendo um livro com as crianças. São 18 crianças na sala entre 5 e 6 anos. Eu e ele estamos amando.

Eu estou desistindo de escrever aos poucos, devido ao trabalho e a correria do dia a dia, mas a maior parte por preguiça. Então vou tomar vergonha na cara e escrever mais, assim dou um tranco no cérebro para funcionar mais...rs

Aqui chegou o inverno e chegou com tudo, aquecedor ligado, sopinha de noite e muita, mas muita coberta. Topa?

Esse ano não tem Brasil. Triste. Estarei em Milão no Natal com os sogros. Delícia (se é que você entendeu o “delícia”) haha. Alguém vai estar por perto? Dresden? Rs.

Beeeeeeijo!

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Tropa de Elite - missão dada é missão cumprida

Oi pessoal,
Bem, o filme Tropa de Elite já deu bastante falatório, pois muito antes do filme estrelar no cinema, já tinha gente assistindo pela pirataria... Mas acabou que esse incidente foi muito bom para o filme, que agora é o filme brasileiro mais comentado da história.
Trata-se da história do BOPE (Batalhão de Operações Policiais Especiais), a chamada tropa de elite da polícia. Um dos capitães da tropa está para ser pai e quer sair da corporação pois está sofrendo ataques de pânico em meio a tantas situações. Ele tem que escolher o substituto "a altura" para o lugar dele.
Violencia... muita violencia...
Favela, pobres, maconheiros, riquinhos, traficantes da pesada, policiais corruptos... enfim, a sociedade como ela é.
Foi um (um não... vários) soco(s) no estomago. Fiquei com dor de estomago o domingo inteiro.
Impressionante.
Se vc é sensível, não assista. É pesado demais.
Eu me arrependi... eu tinha dito que não iria assistir (assim como não assisti ao Cidade de Deus), porém o Fê colocou, o sono tinha passado... e depois que vc começa, fica difícil não assistir a tudo.
Ou seja, o filme é muito bom, prende a atenção... muito bem produzido, muito próximo da realidade. Mas é real demais prá mim...

Fica por sua conta, tá?
Bjs
Marcia

domingo, 4 de novembro de 2007

Um sorriso para vocês!


Tem dias em que se quer compartilhar idéias...
E tem dias que se quer compartilhar a falta de idéias...
Tem dias para se compartilhar sentimentos...
Mas, por enquanto, eu só quero compartilhar um sorriso!!!
Beijo para vocês!

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Leite multiuso...

Agora, além de ser Longa vida, o leite também é multiuso. Tem mais habilidades do que aquela palha de aço famosa e é mais "poderoso" do que o "Óia", aquele outro produto de limpeza.


Contribuição: Charges enviadas por Arlindo Orlando (Cachoeiro de Itapemirim), via em-mail.

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Jogo dos erros

Oi pessoal,
Tem gente com muita criatividade, bons softwares à disposição e muita vontade de ter os cinco minutos de fama. Recebi uns dias atrás um email sobre UFO no Haiti, depois foi no Taiti... enfim, ninguém sabe aonde, mas garantem que o video é verdadeiro:




Você acredita? Ache alguns erros... vc perceberá que é uma montagem... excelente, por sinal.

Bjks
Marcia

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Eu tenho aflição

* de mulher/moça que passa batom/gloss em público, sem espelho!: claro que (se) borra, e eu mal consigo me conter para pedir que conserte. Sem contar que é feio, pra mim, passar batom é como escovar os dentes: ninguém além de você e Deus precisa presenciar.

* gente que come andando ou anda comendo (principalmente coisas melequentas, tipo sorvete): é só comigo, ou é só aparecer alguém comendo coisas melequentas, que este alguém, invariavelmente, vai respingar a comida melequenta em você?

* gente que fala/ri/chora/respira alto: essa todo o mundo já sabe de cor, de tanto que abomino e vivo repetindo que abomino. Não tenho alfição, tenho pa-vor.

* quadro torto, coisas desalinhadas: eu tento, muito mesmo, minha gente, me conter para não sair alinhando coisas bagunçadas em lojas, principalmente essas que vendem de um tudo, sabem quais? Eu sei, preocupante, para dizer no mínimo.

* gente que espirra/tosse/boceja sem pôr a mão na frente da boca: nem é (só!) pelos germes que pululam de uma boca escancarada (écati!), mas também porque é mal-educado e feio: já reparou na caretinha que se forma quando você boceja? Pois então preocupe-se já: não é bonito não, viu?!

* gente suando: sauna, academia (esta ainda por causa da combinação gente suando embalada pelo som de axé/dance/techno-axé [jura que este suplício existe mesmo?]. Argh.), salão de beleza e o inferno inventado pelos seres humanos, carnaval/micareta estão sumariamente banidos da minha tranqüila e silenciosíssima vida (sem o menor esforço, diga-se de passagem).
* manicure e pedicure: pa-vor de compartilhar alicate, lixa, bacia (suada!) e etcs com outros seres vivos vertebrados. Virei especialista em fazer minhas próprias unhas (mas só as minhas, um dia minha irmã pediu uma ajuda e nunca mais). Chamem-me de neurótica: eu assumo.

* Português errado: escrito, falado e o tal do "miguxês". Ui! Dá até calafrio este, credo em cruz.

Acham que acabou?

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Filmes que já quico para ver...

...por causa de minha interiorana vida. Áfe.

"Hors de prix" ("Priceless" nos EUA): por motivos bóbvios: Audrey Tautou é qualquer uma das Hepburns da atual geração. (Trailer disponível já!)

"Sweeney Todd": por outros motivos bóbvios: Johnny Depp é quase Marlon Brando da atual geração. E Depp-Burton é sempre ótemo, e já ouvi dizer que Depp, pra não ser mais perfeito, canta que é uma coisa. Ui, calores.

"1408": não gosto dos livros do Stephen King e com exceção de "O iluminado", não gosto de filmes baseados em livros de Stephen King. Mas adoro Samuel L. Jackson e mais ainda John Cusack. Que será que aconteceu com King pra ele ter fixação com crianças em hotéis? Vejam o trailer e vocês vão entender porque abri exceção para este filme também.

domingo, 14 de outubro de 2007

Ao mestre, com carinho (ou não)

Lembrando que amanhã é o "dia dos professores", trago este post.

Estou num curso de formação de professores. E, em meio as discussões, veio a inevitável pergunta: "Quem é, para vocês, um professor inesquecível?". E, aqui com vocês, respondo-a e também lhes convido à mesma reflexão.

Contabilizando quase vinte anos de estudo, não foram poucos os professores por quem passei. E, com eles, uma série de aprendizados tive; não só como aluna, mas, vide suas posturas, como pessoa e profissional que sou. Assim, ao ouvir a pergunta acima me remeti a duas figuras singulares do terceiro ano do antigo "Segundo Grau", atual "Ensino Médio". Em tempo: de uma grande escola pública. Um professor de Física e outro de Química (duas áreas que não me atraem, apesar de reconhecer sua necessidade).

O professor de Física, sem saber me impôs um desafio logo no seu primeiro dia de aula: passar no vestibular. Chegou até nós, alunos, discursando sobre as fragilidades do ensino público e sua impotência frente ao preparo dos alunos para processos seletivos para universidades públicas (lê-se: vestibulares. Continuou atirando na lama o ensino público, a qualidade dos professores, ignorando a parte que compete ao aluno e, então, começou a distribuir panfletos do cursinho pré-vestibular (privado) do qual era sócio. Esse homem pisou no meu orgulho (e, quem me conhece bem, sabe que ele é grande) e foi um dos maiores incentivos a me fazer estudar ainda mais naquele ano. Ganhou muitos alunos, sim, da nossa turma e de outras, para seu cursinho (ele era tão "generoso" que conseguia descontos!). Não eu. Primeiro, porque eu não tinha condição de pagar por um. Segundo que, se tivesse, jamais me matricularia no dele. As aulas dele durante o ano? Regulares.

Mesmo ano. Outro professor. Jovem, comprometido, descontraído. Ele chegou com uma fala de rigidez militar, demarcando os limites de suas aulas, discutindo o que competia a quem (ele, professor e nós, alunos). Mas, aos poucos, foi mostrando a pessoa acessível que era. Nos tratava com respeito, não nos desmerecia, nos incentivava. Sabia que ali, muitos não poderiam cursar um pré-vestibular, mas se disponibilizou a sentar conosco em algumas manhãs de sábado para fazer "aulões" de revisão do conteúdo na véspera do tal processo seletivo. Sem cobrar por isso. Sua cobrança acontecia no dia-a-dia, exatamente de acordo com a qualididade do ensino que nos oferecia. Com ele, Química não parecia difícil. E nem eu parecia uma incompetente (como outros gostariam de fazer me sentir). Organizava suas provas no sistema do vestibular, pois acreditava que só assim nos familiarizaríamos com o sistema. Foi o melhor rendimento que eu tive no vestiba: em Química. No último dia de aula ele nos entregou uma linda mensagem nos incentivando a prosseguir. E, depois de ver meu nome na lista dos aprovados, ainda recebi um telefonema seu. Dá prá esquecer de alguém assim?

Ambos os professores prestaram, à sua maneira, sua contribuição para mim. Ambos me incentivaram. E ambos são modelos em minha prática profissional: do que eu não quero ser e do que eu espero, a cada dia, me aproximar.

sábado, 13 de outubro de 2007

Perfil


Qual sua graça? Kátia, mas me chamam de “Katinha”, “Katchona”, “Katchaça” e as vezes até de “Kachorra”...rsrsrsr...mas aí eu me acho no direito de morder, hem?!
Quantas primaveras? 30 e adorando!
Amigo, simplesmente amigo? Sim. Quando eu gosto, gosto de graça.
Você tem fome de que? Comida japonesa
Você tem sede de que? Coca-cola
No meu mp3 toca o que? Vixe, uma mistureba que só ouvindo...De Aerosmith a Vitor e Leo...
Qual seu pior pecado? No momento, a vaidade.
Maior virtude: Pau pra toda obra...de passar a noite no hospital fazendo companhia a uma amiga a estudar compulsivamente para um concurso que não vou prestar, só pra incentivar um querido.
Minha série de TV favorita é : Lost...
Meu Friends favorito? Joe Tribianni
Eu choro quando... sou mal tratada, ainda mais por quem gosto. Ou quando sou mal interpretada...
Um homem pra chamar de seu? Estou tão apaixonada por um, mas ele não é meu. Se tiver que ser, vai ser. Deus ta trabalhando nisso. Hoje completam 6 meses que estamos “ficando”. O amo muito. Ele é mais novo, bem diferente de mim, mas jamais fui tão feliz como sou quando estou ao lado dele.
Eu não sei viver sem...companhia. Amo estar perto de quem gosto.
Um dia eu vou para... Fernando de Noronha.
Meu coração é um músculo involuntário, mas ele pulsa por... Alessandro
Cinco últimas compras: uma sandália beeeem altona, um brinco, um livro, calcinhas e duas blusinhas

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Toma que o filho é teu!

Lembro que há uns anos eu recebi um email falando que na China as pessoas jogavam os bebês no meio da rua, fossem recém-nascidos ou ainda fetos. Tudo porque a política cultural do país abominava o nascimento de meninas. Os pais, com medo das sanções do Governo, se livraram das meninas, fosse abortando os fetos ou abandonado os bebês em algum lugar. Vinha uma foto no email, mostrando um bebê recém nascido, e prematuro, no meio fio, perto de um bueiro. Achei aquela cena repugnante e pensei: como um ser humano pode ter coragem de fazer isso com outra pessoa, e pior, um bebê? Pois bem, eis que, anos depois, continuo a questionar como isso pode ser possível, só que não acontece do outro lado do mundo, acontece aqui, bem pertinho da gente.


Toda semana vemos notícias de crianças abandonadas em lixeiras, na ruas ou jogadas no esgoto. Toda semana eu me pergunto: como pode? Não me diga que é a pobreza, desespero ou imaturidade dessas mulheres, esse tipo de argumento eu não aceito. E nosso Governo pode não ser dos melhores, mas esse tipo de imposição não acontece aqui. E cadê os pais dessas crianças?

É por essas e por outras que cada dia que passa eu tenho mais medo do mundo que meus sobrinhos vão ter que enfrentar. Me preocupa saber o que mais as pessoas podem fazer para machucar e destruir umas as outras. A pior parte? Sei que elas ainda podem fazer muito, muito pior.


segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Tem dias que a gente não consegue escrever nada...

Só o título já diz tudo...


Bjks

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

"Se você pretende saber quem eu sou, eu posso lhe dizer..."


Qual sua graça? Pode me chamar de Ggel

Quantas primaveras? 20 + 9

Amigo, simplesmente amigo? Sim, vários e bons, da melhor qualidade

Você tem fome de que? De massas e doces, por isso minha forma física é tão geométrica

Você tem sede de que? De sucos, todos naturais, por favor.

No meu mp3 toca o que? Toca de tudo, claro que flashback dos anos 80 é o que mais tem, mas eu adoro melodias, a letra eu não me importo muito, tem que agradar aos meus ouvidos primeiro

Qual seu pior pecado? Sou tão ansiosa e por isso mesmo me torno impulsiva

Maior virtude: Companheirismo, eu sou realmente muito legal...rs

Minha série de TV favorita é...são várias, Lost, Monk , Dr. House, CSI, CSI Miami, Friends (sempre), Cold Case e Extreme Makeover Home Edition.

Meu Friends favorito? Joe Tribianni

Eu choro quando... vejo uma coisa triste, uma alegre, uma bem boba, eu choro por tudo. Eu não era assim

Um homem pra chamar de seu? De preferência, um que goste de mim :)

Eu não sei viver sem...ter carinho, é a minha condição, já diria o Lulu Santos. Mas eu não vivo sem ter alguém por perto, tenho a síndrome do cachorro vira-lata

Um dia eu vou para... vários lugares, se dependesse da minha vontade eu teria dado a volta ao mundo e levaria mais de 80 dias, com certeza

Meu coração é um músculo involuntário, mas ele pulsa por... muitas coisas e pessoas

Cinco últimas compras: uma blusa, uma camiseta, um livro, uma escova progressiva e brincos


terça-feira, 2 de outubro de 2007

Enquanto isso no Reino de New York City...

Era uma vez uma pobre donzela que trabalhava de secretária no calabouço de um castelo no Reino de New York City. Por sua sorte já havia encontrado seu príncipe que era nada mais nada menos que o chefão do calabouço.
Um dia o príncipe decidiu fazer um ato de caridade e imprimiu gratuitamente convites para um jantar beneficente do Sir Elton John no castelo mais badalado do Reino. Em troca daquele ato caridoso Sir Elton John retribuiu a gentileza presenteando o príncipe com 4 dos disputados convites.
Porém esse príncipe nunca foi muito rico e nunca havia frequentando as altas rodas daquele reino, muito menos moedas de ouro necessárias para comprar tão caros convites. A pobre donzela então disse ao príncipe para doar os convites à alguns de seus nobres clientes, mas o príncipe recusou e disse que a levaria para uma noite mágica, onde tudo poderia acontecer, inclusive peruas siliconadas rodeando pelo salão principal do castelo com vestimentas minúsculas e douradas.
O único problema seria que a pobre donzela não tinha um vestido adequado ao tamanho da festa nem ao tamanho de seu traseiro. Sua única salvação seria uma fada madrinha.
Quem imaginaria que sua fada madrinha chegaria do Brasil num dragão voador da American Dragonlines uma semana antes da festa, uma fada madrinha japinha e linda que além de ajudar a pobre donzela a encontrar o vestido perfeito, ainda cuidaria do seu pequeno herdeiro Leonard I (o primeiro) enquanto o casal seguiria para o Baile.
Então na data tão esperada a donzela e seu príncipe nem tão encantado assim seguiram numa bela "yellow cab carruagem" ao castelo Waldorf Astoria onde o baile aconteceria. Eles foram acompanhados por seus queridos amigos de longa data do lindo reino de "Queens", o casal Melvins.
Naquela noite mágica, a bela donzela viu príncipes e princesas famosos, celebridades de todos os Reinos e súditos seguidores da doutrina beleza. Mas o melhor de tudo foi que ela pode perceber que por mais mágica que a noite tenha sido, nada foi melhor do que se transformar em abóbora e voltar para o seu próprio lugar e desabar na cama para dormir.

THE END


* Fotos do acontecimento lá no meu Orkut. (já que aqui minhas fotos nunca aparecem).

sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Eu sei que ultimamente eu quase-só tenho feito referências a outros blogs e talecoisa.

Tentarei para a próxima semana, escrever algo só-meu, mas é que eu não poderia deixar passar isso: 66 referências a filmes durante todos os anos de "Os Simpsons".

Meus favoritos:


"Psycho" (1960)

O que mais tem é referência a Hitchcock. Matt Groening sabe das coisas.

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Relacionamentos...


O relacionamento entre homens e mulheres é deveras complicado. Vemos vários casos por aí em que tudo dá certo, mas mesmo assim, em alguns momentos parece que nada vai dar certo. Também vemos vários exemplos onde a "coisa" não dura: a química é ótima, eles se entendem perfeitamente, gostam de várias coisas iguais e várias coisas diferentes (assim, podem conversar sobre assuntos diversos) mas algo não vai bem. E nessas horas, a pessoa tem que saber que não adianta ficar tentando e tentando: não vai dar certo. Pena, todos gostam do casal, parece que "viverão felizes para sempre". Mas não dá. Tem que saber quando o final chega.
Em relação ao "viverão felizes para sempre", as pessoas tem que ter em mente que problemas sempre existirão... briguinhas, desacordos... mas que isso não muda o fato que você ama o outro, é retribuido... e além do mais, você GOSTA da pessoa (e também é retribuido).
Outra ilusão: nada vai mudar. Sim... tudo muda... o mundo gira, o tempo passa e todas as coisas mudam... por que raios a pessoa com quem você tem um relacionamento, não mudaria? Sim, mudam... às vezes para melhor, às vezes para pior... Mas se existe amor, esse "pior" pode ser revertido... ou adaptado.
Enfim... não sei por que esse assunto profundo aflorou... mas é isso.
Bjks a todos,
Marcia


sábado, 22 de setembro de 2007

Mais que palavras



Gente, a dias queria voltar no hospital que operei pra buscar essa imagem. Esse quadro tá no centro cirúrgico e pra minha surpresa, meu amor tirou a foto. Vocês não imaginam a tranquilidade que me deu ao olha-lo, minutos antes da cirurgia.

Estou escrevendo, prometo. Semana que vem volto a escrever.
Beijos, saudades de todos e desculpem a "sumideira".

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

A há!

Duvido que eles leiam (e se lêem, quem responde é uma máquina, certeza, ou um/a secretário/a "da família"), mas sempre é bom desabafar, evitar rugas, úlceras e taquicardias mandando um desaforado "não gostei" para os que-se-acham-senadores da ""nossa"" república. Até porque a nossa vontade mesmo é fazer como o carinha lá que queria porque queria falar com Lulinha-paz-e-amor (vulgo LP&A), mas não dá.

Do blog "Olho da rua 2.0". (Se for espiar, repare no post sobre música. Hilário. E eu ainda não me decidi em qual/is votar.)

francisco.dornelles@senador.gov.br;
crivella@senador.gov.br;
paulo.duque@senador.gov.br;
expedito.junior@senador.gov.br;
fatima.cleide@senadora.gov.br;
valdir.raupp@senador.gov.br;
augusto.botelho@senador.gov.br;
mozarildo@senador.gov.br;
romero.juca@senador.gov.br;
inacioarruda@senador.gov.br;
mercadante@senador.gov.br .

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Meu primeiro amor...

Essa semana recebi um email do cara que foi minha primeira paixão. Eu tinha uns 10 ou 11 anos e me apaixonei por um vizinho, típico...rs. A coisa era levada tão a sério que a mãe dele me chamava de “norinha”. Eu estava tão encantada que comecei a freqüentar a mesma Igreja que a família dele freqüentava. Isso tudo porque eu queria passar as tardes de domingo pertinho do moçoilo em questão.

Euzinha, aos 11 anos

Foi uma estória tão fofa, até dançamos juntos num daqueles bailinhos de garagem (pra você que nasceu depois da década de 90 isso deve parecer absurdo, mas juro que não era, a coisa era bem divertida). Lembro que a primeira vez que dançamos foi super especial, a gente se abraçava tanto que até doía às costelas (que criançada assanhada). Nossa música oficial era: Hard to Say I'm Sorry, do Chicago (no youtube ) ou será que era Lady in red, do Chris de Burgh (no youtube) ? Não lembro bem, faz muito tempo, minha memória não é de longo alcance.

Foi legal lembrar dessa estória. Bons tempos aqueles. Engraçado como o mundo dá voltas, né? É uma misto de rotação com translação, uma coisa de louco...rs.

Ah, o que dizia o email dele? Segredo.

terça-feira, 18 de setembro de 2007

MAIS UM PERFIL



Nome: Sunara
Apelido: Shu
Idade: Trintão...rs
Signo: Áries ascendente Leão - Fogo + Fogo :)
Melhor amigo: Todos aqueles que se fazem presentes, mesmo distantes.
Amores: Fran e Leo
Melhor Profissão: Ser Mãe.
Me conhece até do avesso: Francesco.
Comidas favoritas: Super nachos de Carne, hibachi, todos os tipos de pastas e churrascão.
Medo: De perder alguém que amo.
Filme: The Prestige.
Lugar para viver: Qualquer lugar sem violência.
Saudade: Dos amigos que moram longe
Sonho de consumo: Uma segunda lua de mel em Bora Bora.
Mania que já foi onerosa: Bolsas...e ainda é.
Uma qualidade: Essa deixo para você dizer.
Defeitos: Pavio curto e consumista.
Um desafio a ser alcançado: Educar o Leonardo num ambiente multi-cultural.
O que me deixa nervosa: Atrasos, pedir uma coisa mais que uma vez e ficar sozinha.
Nas minhas veias: Meus homens.

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Perfil - Marcia

Nome: Marcia
Apelido: Má, Marcitcha, Cuka, minas, sis
Idade: 39 recem feitos
Signo: Virgem... daquelas metódicas, que gosta de tudo bem certinho. Mas aprendi a não ser muito chata em relação ao mundo.
Melhor amigo: o Fê... antes de ser namorado, já era amigo. Continua assim. Minha irmã. Tenho a Chris, que consegue sempre saber como estou, só de olhar prá mim. Minhas amigas do 7x7. Tenho muitos, sorte minha.
Me conhece até do avesso: o Fê, com certeza.
Comida favorita: Sushi, esfiha e macarrão
Medo: de acontecer algo ruim com minha família; dessa violencia gratuita que vemos por aí, todos os dias
Filme: Amelie Poulain, O Poderoso Chefão

Livros: O Mundo de Sofia, Cem anos de solidão
Seriado: A sete palmos
Lugar para viver: gosto de Sampa, mas ainda não sei se aqui é meu lugar
Saudade: do Quiquiu
Sonho de consumo: um apê de 125m² que vai ser construído aqui pertinho
Mania que já foi onerosa: hummm... acho que não tive nada que me custou tanto assim

Uma qualidade: sou fiel
Um defeito: gosto de tudo certinho demais...
Um desafio: fazer o MBA
O que me deixa nervosa: violencia; bagunça nos meus armários da cozinha; assobios altos, buzinadas quando o farol acabou de abrir mas não dá prá passar.
Nas minhas veias: meus filhos

domingo, 16 de setembro de 2007

Poizé

Desculpe invadir o domingo. Porque é craro que eu não poderia deixar passar o ensaio fotográfico ¿artístico? da crente nova. Só pra não deixar o circo incompleto.
P.S.: Por que este assunto tem sido tão recorrente?

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Atenção, obras.

Estava mais do que na hora de ocorrerem mudanças. Volto em breve.



quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Olha eu aqui!!



Aproveitando a ótima idéia das minhas companheiras de blog que resolveram (re)publicar os seus perfis, publico hoje também o meu para que os leitores mais antigos lembrem-se de mim e para que os novos possam me conhecer um pouquinho mais, afinal faz muuuuuuito tempo que não apareço por aqui.



Nome: Renata
Apelido: Rê, Rêzinha ou Rezitcha.
Idade: 26 anos.
Signo: Escorpião com ascendente em Escorpião. Puro sangue, com todos os defeitos e qualidades inerentes a essa raça.
O que faço pra valer: sou estudante de Direito (último ano...uhuuuuu!!!) e estagiária nessa área.
O que faço por prazer: pintura em tela
Melhores amigas: minha mãe, Élide, Maria Fernanda e todas as 7X7.
Melhores amigos: meu pai e meu amor, Pedro.
Me conhecem até do avesso: Mãe e Pedro.
Comida favorita: massas em geral e comida chinesa, além da feijoada da minha mãe e do churrasco do meu sogro. Divinos!!
Medos: de barata e de altura.
Paixões: gatos e brincos.
Filmes: Tomates Verdes Fritos e Diário de uma Paixão.
Livros: O caçador de pipas e Código da Vida.
Lugar para viver: Tatuí-SP, apesar da falta de oportunidades, minhas raízes estão aqui.
Saudade: da vó Davina e do vô Saulo (todo dia, eternamente...)
Sonho de consumo: um apartamento para chamar de meu.
Mania que já foi onerosa: está sendo no momento, sapatos.
Qualidades: fidelidade, determinação e organização.
Defeitos: timidez e pavio curto.
Um desafio a ser superado: chegar à Magistratura do Trabalho.
O que me deixa nervosa: atraso e brincadeira fora de hora.
Nas minhas veias: Justiça!!

Espero que tenham gostado.


segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Dúvidas... muitas dúvidas...


Dúvidas que ninguém consegue me explicar:

- Aonde fica MACONDO?
- Por que 6 dos 7 anões tem nomes que fazem sentido, exceto o Dunga?
- Por que as pessoas não conseguem simplesmente agradecer quando recebem um elogio sincero?
- Como viciar um dado para ele sempre dar 6?
- Por que as formigas gostam de açucar?
- Por que os homens não de Marte e as mulheres são de Vênus e dessa forma, eles nunca se entendem?
- Por que o sangue é vermelho?
- Por que os dalmatas têm pintas pretas?
- As zebras são animais brancos de listras pretas ou pretos de listras brancas?
- Como o orkut ganha dinheiro?
- Daonde vêm tantos vírus?
- Por que os países não conseguem se ajudar e acabar com a fome no mundo?
.
.
.
.

sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Estarrecedor!

Nhão. Eu não vou falar de promotores-assassinos-frios-que-ganham-cargos-vitalícios-e-não-vão-pra-cadeia nem de senadores-comedores-de-jornalistas-bonitonas-patrocinados-por-lobistas (com o perdão da expressão), mas sim da capa da Prayboy da Barbara Paz.

Jesus Cristo Nazareno! Que pose foi essa, fia?! Dor de barriga, é?! Aliás, que imbecil escolheu justa essa fota com aquela pose, dentre milhares que certamente eles tiraram?! E se essa fota com aquela pose foi a melór (porque é o que se supõe que se escolha pra uma capa de revista), imaginem as outras!

E não venham me dizer que é dor-de-cotovelo (pela grana podia até ser, em último caso; o que deve ser o dela, porque pra fazer uma pose dessas, só estando muito endividada), pelamordedeus.
***
Bom feriado a todos.

domingo, 2 de setembro de 2007

Geralmente, os locais em que trabalhei não foram próximos de onde eu morava. Ou atendiam a um público que não residia nas mediações da instituição, necessariamente. Assim, trabalho e casa, para mim, eram territórios distintos.

Agora, trabalho perto de casa. Beeeem perto. E num local que atende a um grande público da região. Engraçado, como tenho me sentido parte da comunidade. Encontro pessoas a quem reconheço e me reconhecem nas ruas do bairro. Recebo “ois” não esperados, na fila do caixa da padaria. Converso com quem está no ponto de ônibus. E nem estou no interior!!! Rs...

Em minha cidade natal, isso é muuuuito comum. Até o motorista de ônibus desce para ajudar a senhorinha com as sacolas. E, dias atrás, confirmei essa sensação ao correr para não perder o ônibus para a casa e ser recebida com o sorriso do motorista, que parou fora do ponto: “O que a gente não faz para não perder o freguês!”.

sábado, 1 de setembro de 2007

Uma mulher sem pedras, obrigada.

Descobri que tinha pedras na vesícula no mês de março de 2006. Pra mim foi assustador, porque minha mãe quase morreu disso quando eu era adolescente. O que eu sabia sobre o assunto era quase uma sentença.
Protelei, adiei, chorei, suportei dores horríveis. Na cabeça eu sabia que a cirurgia era inevitável, mas sabia também que eu adiaria o quanto pudesse. Nunca havia levado uma anestesia, inclusive optei na ultima hora por parto normal, de tanto medo de ponto e anestesia que eu tenho.
Fui convencida a operar pelo meu amado, que é enfermeiro e acompanhou parte do sofrimento. Ele me indicou seu próprio gastro, um amor de médico, que me desenhou (literalmente) porque eu teria que operar e não dava mais para adiar, caso contrário eu já sabia bem o que aconteceria, tendo como base o histórico da minha mãe.
Cirurgia marcada, plano de saúde embaçando para autorizar a dita cuja, uma montanha de exames e um grande amigo ao lado, o tempo todo. Inegável que eu “amigorado” teve um peso enorme na “coragem” que tirei não sei de onde. Ele me levou ao hospital, entrou no centro cirúrgico, ficou lá o tempo todo, e até segurou na mão a tal da vesícula. Posso dizer que meu amado me conhece por dentro e por fora. Ele tava lá quando voltei da anestesia, aliás, já voltei chamando por ele... rs....to ou não apaixonada?
Agora to aqui me recuperando. O pós-operatório é bem dolorido, embora eu tenha feito a cirurgia por vídeo, os cuidados são os mesmos de uma cirurgia aberta. E a recuperação também.
Minha mãe veio pra minha casa, vai ficar um tempo comigo, porque não posso fazer nenhum tipo de esforço e creio que se o médico me liberar, retorno ao trabalho ainda nessa semana, quando fizer 14 dias da operação.
Aos amigos que torceram, oraram, rezaram por mim, agradeço de coração.
Agora sou uma mulher sem pedras

sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Eis-me

Seguindo a Aninha, apresento-me para quem não me conhece, para quem visita o brog pela primeira vez ou para quem já é visitante assíduo mas ainda assim não me conhece. Ah, este perfil fica no meu brog e no yakult.

***

Carolina Maria, mas prefiro Carol. E também Cá, Gor, Caroleta, Tia Carrol, Bella, Carolita, Pequena. 2.3, blogueira há 3½ anos. Professora. Filha-irmã do meio. Tia-amiga-irmã-filha-namorada. Paulistana quase mineira. Poços de Caldas, MG-BR. Mas meu lugar no mundo é mesmo Madri. Óculos (escuros). Jadore, Dior. Creme hidratante de manga, para o único. Batom rosado. Brincos – 5 em cada – e anéis. Descalço. Sapatilhas e escarpins são minha perdição. Chocolate meio-amargo. Lasanha a bolonhesa. (Mínimo possível) Vinho tinto seco. Refrigerante de cola não. Água, leite, café, sucos sempre. Melão e cereja nunca! Bicicleta e caminhada sem compromissos. Papai, 3 irmãs, namorada-de-papai, meu Henrique, vovô, família inteira – incluindo amigos, meus cães e meus gatos – e mamãe que para sempre amarei. Viagens novas. Español sí. English, not always. Joaninhas. Felinos. Rock'n roll, blues, bossa e silêncio. Cinema sempre. Revistas–vício. Livros-obssessão. Azul. Amarelo não. Branco idem. Vermelho em todas suas variações. P&B. Massagem nas costas. Dedos desenhando linhas do rosto. Beijos sinceros e espontâneos. Abraços de alma. Mãos bonitas. Olhos negros verdes.
***
Falei com Katita ontem. Está bem, apesar de doloridíssima. Mas, nada que aquela mulherão-guerreira-linda-poderosa não supere. Já que ela está de volta pra dar um plá aqui.

quinta-feira, 30 de agosto de 2007

Ao som do Lulu...

Domingo eu estava zappeando por aí quando vi um programa do Raul Gil que faz homenagem ao artista. O artista em questão era Lulu Santos, parei pra ver o programa na mesma hora.

Mesmo achando que o Lulu faz parte da geração que só conseguiu fazer boas músicas até metade dos anos 90, ainda sim eu adoro o cara. Caramba, como eu queria que um dia um homem bem apaixonado me mandasse um e-mail, carta, recadinho, o que fosse, com trechos de algumas músicas clássicas do Lulu Santos. Pensa só, você está distraída e recebe um e-mail do love da sua life com os seguintes dizeres: “Quero te conquistar, um pouco mais e mais a cada dia, satisfazer sua vontade também me sacia”. Pode ser a clássica quando um certo alguém desperta o sentimento é melhor não resistir e se entregar, me dê a mão, vem ser a minha estrela, complicação tão fácil de entender [...] inspiração pra tudo o que eu viver.” É ou não é pra suspirar o dia inteiro?

Ou então, naquele dia mais ou menos, você lembra que ele já cantou: “[...] eu estou indo à vida com a determinação de um trem, como um faminto em um prato de comida”. Pelo menos, no meu caso, dá uma boa animação pra começar o dia bem.

Definitivamente, eu quero receber uma declaração ao som do tio Lulu Santos, com todos os clichês possíveis e imagináveis. Não ligo, sou, com certeza, “flagelada* da paixão, retirante do amor, desempregada* do coração....tchu ru ru ru tchu ru ru ru ru.”

É, como diria o Lulu, até as canções mais tolas, tendo os seus defeitos, sabem diagnosticar o que vai no peito”, pelo menos no meu elas sabem.

Guia das músicas: Tudo com você, Um certo alguém, Papo cabeça, Tudo azul e Satisfação.

* Adaptação total, sem a menor vergonha...rs. E nossa, que post colorido.

domingo, 26 de agosto de 2007

Há momento em que a criatividade parece insistir em sair de férias. Então, você começa a ver o que os outros têm feito e pensa: "Acho que vou fazer, também...". E, como depois que o 7x7 mudou-se do blig não temos mais os nosso perfis ao lado, sigo a idéia de uma blogueira(http://nutriane.blogspot.com/), que atualiza o seu a cada ano. Questões simple, práticas e com respostas pertinentes ao agora.


Nome: Ana
Apelido: Uma infinidade, dependendo de quem chama. O mais básico: Aninha. Mas não gosto de pessoas com quem tenho pouca intimidade me chamando assim. O mais esquisito: Balha, Kika Maria. Coisas da minha irmã e do meu padrinho.
Idade: 29. Mas já sinto como se fosse 30. Não, isso não é ruim.
Signo: Capricórnio com ascendência em Libra. Imagine o pé no chão em busca do equilíbrio. Puts... Sai de baixo.
Melhor amigo: Poucos. Bons. E, desses poucos, infelizmente, muitos a kms de distância.
Me conhecem até do avesso: Hum... Vou de Denise, Tati, Ana Paula...
Comida favorita: Sushi; pizza; carne moída com banana frita e, ainda, creme de milho da minha mãe.
Medo: de mudanças e instabilidade.
Filme: Depende do momento. Detesto os violentos. Deixo alguns: “O Fabuloso Destino de Amèlie Poulain”, “A Pequena Miss Sunshine”, “E o Vento Levou...”.
Lugar para viver: Eu gosto de onde vivo. São José, grande Floripa, Brasil.
Saudade: minha vó Marta. Sempre.
Sonho de consumo: No momento? Uma máquina de café espresso (vi na tv, uma barista falando que não se escreve com X).
Mania que já foi onerosa: Lingeries. Não mais... Estou bem controladinha. Vieram outras, mas não se criaram.
Uma qualidade: Lealdade.
Defeitos: Malícia.
Um desafio a ser alcançado: Concluir o mestrado, passar numa seleção de doutorado, depois.
O que me deixa nervosa: Incertezas. Portas e gavetas abertas. Pessoas se sacudindo ou fazendo toc-toc-toc com os pés em locais em que estou encostada.
Nas minhas veias: Lembranças, família, amigos, trabalho.

Muito prazer! Ana Brasil.

sexta-feira, 24 de agosto de 2007

You know I'm no good*

Meio sem assunto, bost curtinho hoje.
***
Gentem, o que é "Donas de casa desesperadas"?! Coisinha medonha.
Até parece que o Brasil tem casa sem muro e com jardineiro adolescente e velório em casa!
E as crionças e adolescentes dublados, o que é aquilo, meus Jesus Cristinho Nazareno?!
E os diálogos traduzidos (não adaptados, nããão, traduzidos mesmo, do inglês pro português sem mudar vírgula!), comassim?
E a narração da canastrona da Sonia Braga, que triste, que chaaato.
E o cara que faz o papel de "Mike" tupiniquim (¿?), que no original é um tipo "me-chama-de-gaveta-me-abre-e-me-desarruma-toda!", na tradução adaptação é um boboca... afeminado.
Tanto dinheiro gasto em um cópia inferior de uma série bacana. Caramba, se a RedeTV! 'tá podendo desperdiçar legais, manda pra mim, não faz mais m*rd* pra tv brasileira (¿?).
***
E "Toma lá, dá cá", até desce. "A diarista" já tinha cansado, é verdade, apesar de ter rendido momentos bacanas.
A sitcom pelo menos copia só o formato gringo e as risadas engarradas de uma platéia inexistente. O elenco se entende e se diverte, o que já um progresso.
Agora a tal da Bozena, não é a cara da Debra Messing? (menos maquiada, menos porcoshopada e beeem menos rica? Um pouquinho mais sem -graça também, porque Debra é um primor, não consigo não gostar dela, mesmo cada dia mais botoxada). Nome da quase-cópia da Debra Messing: Alessandra Maestrini (até site a moça tem, :P ).
***
Descoberta musical do ano, até agora: Amy Winehouse.
Ela praticamente é a Janis Joplin da nossa geração: voz incopiável (odiada por muito, apreciada por poucos), jeitão rude-hipponga (com direito a não lavar o cabelo com freqüência recomendável), comparece aos shows bêuda ou pior, até a uma overdose a moça já sobreviveu, no começo do mês, e parece que ela andou dando uns safanões no marido (e vice-versa, que horror). Claro que não aprovo seu comportamento, mas quem disse que ela se importa se alguém aprova ou não o que faz, desde que cante como canta e seja tão boa em escolher uma banda perfeita?
E gostei. Muito. "Back to black" não sai do meu mp3-feijãozinho, nem da vitrola do computador. Preferida: "Me & Mr. Jones", delícia, mesmo com os palavrões.
* Sim, música dela (com perdão da cacofonia). Link para a música em questã.

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Torcida para Katita

Oi galera,
Hoje nossa querida amiga Katita está sendo operada. Estamos todos só no aguardo das informações que as pedras foram parar em outro "lar" .


Querida Katita,
que seu repouso seja restaurador e que você volte com força total ao nosso bloguinho!


Bjks com muito carinho,
Das 7

domingo, 19 de agosto de 2007



Eventos de moda estão acontecendo acredito que por diversos lugares do país, nesse momento de final de estação. E, quem foi criada em meio a paninhos e ao som da máquina de costura, como eu, não tem como não ficar ao menos “curiosa” com o que vem por aí.
Antes, cabe esclarecer que eu não entendo nada de moda, bem como não pretendo me aperfeiçoar no ramo. E não, eu não me visto de acordo com a moda dita (até porque não ganho pra trocar meu guarda-roupa a cada estação). Mas eu procuro, sim, dentre opções que surgem (ou, como melhor se encaixa atualmente: “ressurgem”), alguns detalhes que possam me beneficiar (leia-se, beneficiar a um corpo baixinho, barrigudinho e bundudinho) e dar uma inovada no look.
Agora, de uns tempos pra cá, tem me assustado o fato de pouco perceber novidades. Pior, ver “desenterrados” os estilos da década de 80, com toda sua cor, larguras em cima e apialações embaixo, como se a criatividade tivesse sumido do mundo da moda.
Ao olhar catálogos, propagandas em revistas, desfiles na TV, percebo as antigas “fusôs” com blusões largos, novamente; porém, agora aquelas calças são denominadas “leggings” e não vem mais com uma alcinha embaixo dos pés. Reencontro as “polainas”. Esbarro com as malditas balonês (sim, para quem tem bunda de formiga, elas são malditas!). Ou, pior, com aquelas blusas longelíneas agarradinhas ao quadril (quando não, ainda, franzidinhas na lateral...).
Passeando num magazine conhecido, sapatos e mais sapatos tipo vinil. Folheando o jornal de domingo do estado, leio que o fluorescente está de volta.
Se ainda servisse e eu tivesse as roupas do meu guarda-roupa de nove anos de idade, estaria “na moda”!!! É... Se eu deixar de doar minhas roupas ao não conseguir mais olhar para elas ou quando deixarem de servir, minhas futuras filhas ou até eu mesma não precisarei comprar mais roupas daqui há vinte anos, se a criatividade ainda estiver em baixa.