domingo, 18 de novembro de 2007

Orgulho "burro"

Passa a matéria no programa jornalístico sobre o quanto as mulheres que trabalham fora ainda se dedicam mais aos afazeres domésticos e aos cuidados com os filhos do que os homens.
Aí o colocam na função que, no dia-a-dia em família, ela quem assume. Ele esquece o suco do lanche da filha, compra de “presente” do dia das crianças uma nova calça de uniforme, “regula” o dinheiro do lanche e prepara refeições que se baseiam em macarrão instantâneo e empanados que “dizem” ser de frango!
Ao final do dia, chega a mãe, e pergunta à filha algo mais ou menos assim:
-Querida, quem você acha que cuida melhor de você, que supriu suas necessidades durante o dia?
A menina, logicamente, respondeu:
-Você, mamãe!
E a mãe, com o ego inflado, retruca:
-Você acha que dá para ficar com o papai, assim como hoje, de vez em quando?
E o “tiro fatal”
-Não!.
A mãe sorri!
Isso... Continue sorrindo. E então repita toda essa função a cada dia, mãe, dona de casa, mulher, profissional.... E continue assim, orgulhosíssima em carregar o mundo nas costas! Afinal, é melhor ter do que se queixar, já que ninguém faz tão bem, mesmo...
Assim, matêm-se os maridos/pais que comodamente continuam
a pouco contribuir nessas rotinas ditas familiares.

4 comentários:

Ggel disse...

Eita que a mãezinha tá nervosa...rs.
Mas tem razão mesmo Aninha, nós ainda estamos esperando que os homens tomem a iniciativa de "ajudar" a tomar conta da casa e das crianãs, quando na verdade eles não tem que ajudar, tem que fazer mesmo. Depois de tantos séculos ainda vivemos numa sociedade machista e sabe o que eu acho pior? Que na maioria das vezes as mulheres permitem essa perpetuação do sexismo...como você acabou de dizer, ainda ficam orgulhosas de ter que "camelar" sem parar, enquanto os maridos ficam em frente a TV ou bebendo cerveja.

¿Controversy! ® disse...

De fato a mulher deixou de ser o sexo frágil há muito tempo. Parabéns para vocês todas e que cada dia mais sejam reconhecidas como super mulheres e não como alguém feito para suprir as necessidades dos homens.
¿Beijos!

Marcia disse...

Aninha tá nervosa... calma minha linda, que existe luz no final do tunel.
Aqui em casa, a coisa é bem diferente... e nem é imposição minha não. O Fê ama cuidar dos meninos, sempre me ajudou na casa, mesmo quando éramos só dois e a casa estava sempre em ordem. Sempre nos respeitamos muito e sempre tivemos a mesma consciencia: que prá dar certo, os dois tem que colaborar.
Portanto, eu digo: ainda tem jeito.
Bjks

Aninha disse...

A título de informação... Eu não tô atacada agora, pq tô grávida... Eu sou atacada com esse tipo de coisa. Esse texto já tava no rascunho do 7x7 há um tempão. Eu quem não tinha postado ainda...
Hehehe!