domingo, 3 de setembro de 2006

DOS 14 AOS 28. HUM... OU SERIA DOS 28 AOS 14??

Nesta semana reencontrei uma pessoa dos tempos do Ensino Médio. Ninguém “muito importante”, mas alguém que me fez lembrar de algumas coisas...

Me lembrou de quando eu tinha meus 14 anos. E já comecei a pegar o ônibus sozinha prá ir até o Centro (Floripa-ilha). Isso foi grandioso, já que depois de estudar por sete anos perto de casa e ter a mãe me levando até a escola por um tanto desses anos, pegar o ônibus sozinha era um grito de liberdade! Até perceber que também iria pegar ônibus cheio, ficaria de pé, esperaria um tempão na fila, ficaria presa no trânsito e essas coisas... Mas que esse comecinho foi o máximo, ah, foi...

E me lembrou de quando eu comecei a matar umas aulinhas. Me c*ando de medo, mas ficando lá embaixo do pátio do IEE, de bermuda ciclista da Origin, camiseta do uniforme com malha de pijama (fio escócia) e moletom preto (até nos dias de sol fervente!) amarrado na cintura. Cabelãããão. Não que eu tivesse uma boa razão pra matar aula. Eu só queria sentir o gosto de saber que tava fazendo algo que não poderia estar fazendo, mas que nem era tão grave assim. Otária, ainda matava aula pra ficar dentro do próprio colégio! Tsc, tsc...

Também foi quando eu peguei recuperação pela primeira vez na vida Mas não por falta de estudo. Eu sempre gostei de estudar e estudei bastante. Por azar, mesmo. Eu já ajudava o meu pai no escritório e juntava meu dinheirinho prá adquirir meus sonhos de consumo: sapato da 775, tênis da 775, arco de cabelo da 775, calça da Origin, camiseta da Colcci e todas essas bobiças que a gente supervaloriza quando tem 14 anos. Sandália de dedo, nem pensar!!!

Engraçado olhar pra trás e me perceber tão diferente de hoje. Mais engraçado ainda achar que a pessoa que encontrei, ou melhor, só vi passar, parece ter continuado igual. No jeito de se vestir, de andar e parece nem ter envelhecido (apesar de já ter dobrado de idade). Ou essa percepção foi fruto da falta de oportunidade de parar pra conversar ou o tempo realmente parece não passar para algumas pessoas. Hum... Que bom que pra mim ele passou!

11 comentários:

Carol Maria disse...

Também gosto de ver o tempo passar, Aninha, várias pessoas também me trazem este certo tipo de nostalgia às vezes e fico pensando como elas conseguem não só não 'crescer' mas não mudar em tanto tempo! Pra mim é quase impossível ser o que eu era aos 14 (ô época, ainda bem que acabou! rs). Claro que toda fase é importante na vida de todos, mas é preciso saber deixá-las passar. Ótimo texto (merece estar no livro ;) ). :*cas, boa semana.

Dri disse...

Oi...
É maravilhoso encontar os colegas de escola depois de muito tempo...
Ontem msm encontrei um mlk q estudou cmg da 3ª a 5ª série...
nossa... como as coisas mudam neh?
bjs

Thais disse...

Sei sei.. pegou recuperação mas NÃÃOOO foi por ficar sem estudar... Quero que me explique como você conseguiu esse milagre... Ta me desestimulando a estudar, aí... Imagina!
hehhehehehehhehe...

Beijão Ana!!!

k. disse...

Oi! Só queria agradecer pela recepção calorosa, cobertosa e edredonosa. Beijos.

Fernanda disse...

Olá Aninha! Tudo bom, querida? Espero que sim !

Sabe que eu acho isso um pouco triste? Às vezes eu olho ao meu redor, e encontro algumas pessoas que estudei lá no ensino fundamental e ou ensino médio. Quando noto que elas não evoluíram, fico um pouco chateada!

Para mim, evolução não é sinônimo de intelecto, é sinônimo de perspectiva de vida; quando eu vejo que alguns deles caminharam por lados obscuros, ou que não tiveram oportunidade de se desenvolverem, fico tristonha!

Ainda bem que o tempo passou pra gente, e independente de curso superior, cursos, etc, nós conseguimos agregar o conhecimento que a idade nos traz, e isso é o mais importante!

Bom querida, é isso!

Tenha uma ótima semana!

Beijos pra vc e fique bem !

Fernanda

Gonçalves (Barun) disse...

Hahaha...também matava a aula e ficava dentro do colégio...tsc tsc tsc...até que um dia fui parar no tal de SOI e com advertência pra mãe assinar...tsc tsc tsc x 2...mas é uma beleza...de que o simples fato de rever pessoas nos tragam lembranças de coisas que estão guardados em algum lugar de nosso cérebro...escondidinhas em algum lugar...esses dias me ative ao fato de que como somos hoje privilegiados de viver numa época que podemos fazer amigos...nos comunicar com mais facilidade com as pessoas com esse recurso de que é a internet...e as cameras digitais então...se na nossa época existissem...quão mais fácil seria reacender esse tempo que não volta mais, mas que é bom demais em relembrar, não é mesmo???

eder disse...

é aninha...

acho que ir de encontro ao que nós já fomos um dia, pode explicar muitas de nossas atitudes no presente. Erros, acertos, estão todos lá ainda...

de alguma forma a essência permanece...

bjs

Daia disse...

Aninha do céu!
Agora mesmo estava conversando com um amigo e relembrando algo um pouco mais antigo, a infância... ô saudades de empinar pipas, subir em árvores, brincar na rua... Saudades!!!
Um bjão Aninha!

Ggel disse...

Pois é Aninha, também tenho saudades daquela época. Acho que faria muitas coisas diferentes, se fosse hoje. Mas mesmo assim, não queria que o tempo voltasse, não mesmo. Concordo contigo, aidna bem que o tmepo passou ea gente aprendeu uma porção de coisas, até mesmo a combinar melhor nossas roupas, né? rs
beijocas

a superlativa disse...

nossa... lembrei de uma porção de coisas de qdo comecei a ter "liberdade" tb...

ma sainda mato aula pra ficar de bobeira no p´stio da faculdade... rs

e vc se entregou no finalzinho do post...rs
ele passou... mas deixou uma marquinha aí... rs

Dani disse...

Aninha, mto gostoso sentir q crescemos, amadurecemos e mudamos com o tempo ne?!!?
Apesar de dar um medo as vezes... hehehe
Beijos, Dani