segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Que saudade dos anos 80...



Eu posso dizer que sou a rainha da nostalgia. Adoro lembrar da minha infância, da época que eu ouvia Trem da alegria, cantava "Prá ver se cola" e achava o Luciano lindo.
Esta semana ouvi um negócio que me deixou embasbacada. Minha filha, de 8 anos, chegou da escola cantando algumas coisinhas absurdas...
Começou com: Ado, aado cada um no seu quadrado. Mais tarde, cantarolou: vem meu cachorrinho, a sua dona tá chamando, e depois, no extremo do maus gosto e da baixaria, gritou bem alto: Créeeeeeeeeeeeeeeu!
Não pude acreditar nos meus ouvidos e fiquei me perguntando: Onde essa menina anda ouvindo esse lixo? Na minha casa esse tipo de coisa não entra, isso machuca meus ouvidos e meu bom senso, se começa passar isso na tv, eu mudo de canal.
Aí veio a grande sacada: é claro, foi na escola.
Dá prá acreditar? Você manda seu filho para a escola e ele volta prá casa cantando Créeeeu.
Tô velha demais prá esse tipo de coisa. E não adianta, isso prá mim não é engraçado e nunca vai ser engraçado. Criança não tem que se erotizar desde cedo, eles terão a vida inteira prá isso.
É assim que está a cultura desse país.Infelizmente.

8 comentários:

Raquel El-Bachá disse...

Tenho saudades da minha infância nos anos 80 também.
Fico besta quando vejo essas vejo essas crianças hoje cantando e dançando essas baixarias. Pior é quando os pais incentivam e acham uma "gracinha" o filho ou filha saber essas coisas.
Beijos.

J.F. de Souza disse...

É... Depois da década de 1990, a coisa degringolou... Caiu de tal forma que ñ adianta.

Pior é, justamente, ver nossos filhos tendo contato com todo esse lixo desde cedo... E sem poder fazer muita coisa...

-------------------------------

Fejones ñ passava por aqui faz séculos... Nem sabia que as 7 viraram 8... =P

-------------------------------

=*

geny_tavares disse...

Complicado, né Pri?
Pior que não tem como controlar esse tipo de coisa. O máximo que podemos fazer é não deixar essas "músicas" invadirem nossa casa, de resto...
Mas eu adoro ver que a Ju é "meio bobona". Na verdade ela tem 9 anos e age como uma criança de 9 anos e não como uma mini mulher...ufa, ainda bem.
beijo e coloca bastante trem da alegria pra Yayá, certeza que ela vai gostar mais do que Créeeeeeuuu.

Juliana disse...

Esse é nosso mundo? Pois é... O importante é oferecer bases seguras para as crianças poderem discernir.

Abraço!

p.s.:estou de blog novo: http://julianaggarcia.blogspot.com

C.A.Braz disse...

Mas eu lembro quando eu era criança tinha uns palhaços que iam cantar "meu pipi no seu popô, meu popô no seu pipi...meu pipi no seu popô, meu popô no seu pipi...pipi, popô...popô, pipi...pipi, popô...popô, pipi...pipi, popô...popô, pipi...aaaaaaaaaaaaaaaaaaai"

Risos..é verdade, é verdade (sotaque de Portugal).

Nati disse...

É, complicado...
Eu nasci já em fins da década de 80, mas graças a Deus tenho pais que nunca me deixaram cair no abismo musical, graças ao que eu sempre ouvi aqui por casa.

Se a escola anda da sa filha anda te sacaneando, persista no tratamento de choque e ponha muuuita boa música pra ela ouvir. Certamente, como uma menina inteligente ela vai saber diferenciar o joio do trigo.

Tajan disse...

Eu concordo com isso
créeeu ninguem merece tb neh

e viva nossa infancia feliz

hehehe

bejus pri

Marcia disse...

É Pri... não é fácil, a gente se esmera em tanta coisa pros coleguinhas mostrarem certas porcarias... isso agora é com música, a gente tem que dar muita base prá eles... pq lá na frente, o papo é diferente :S
Bjks