domingo, 25 de fevereiro de 2007

Não tenho o hábito de postar textos "prontos", que não sejam meus, mas gostei muito deste e compartilho com vocês. FONTE: Revista Cláudia


Olha, eu sei de coisas sobre a sua mulher que você não sabe. Não tenho motivos para mentir nem inventar fofocas, portanto pode acreditar em mim.

Ela sente desejo por outros homens. Não posso garantir se por algum específico, mas por vários, em diferentes momentos. Chegou até a dar bola para alguns deles — nada de muito grave, mas deu. Deu, que eu sei.

Outra coisa: sua mulher finge orgasmos quando transa com você. Não estou dizendo sempre, mas boa parte das vezes. Ela jamais vai te confessar esse fato, porque ela acha que isso deixaria você griladíssimo. Caso ela tenha razão, pode ficar. Griladíssimo, quero dizer. Pois ela finge. Ah, finge.

Quer saber mais? Ela fica com raiva quando você fica doente. E fica com mais raiva ainda quando você se recusa a ir ao médico. Outra coisa que ela odeia: quando você se automedica. Mas ódio mortal, mesmo, ela sente quando você não presta atenção no que ela diz. E você não presta, todo mundo comenta.

Aliás, fique sabendo que ela já está sabendo de tudo, hein? Que você olha para as bundas e peitos por aí. Que diz gracinhas para outras mulheres. Que visita sites pornôs na internet. Que vive mentindo para ela, dizendo que está não sei onde, não estando. Que fala mal dela para os seus amigos.

O que a sua mulher não sabe, porque ainda não tive coragem de contar, é que você, às vezes, gostaria que ela sumisse da face da Terra. Sendo que ela, por sua vez, em diversas ocasiões, já imaginou que teria sido melhor se você nunca tivesse existido.

E, já que estamos falando francamente, repare hoje no jeito dela. Veja se não lhe parece mais estranho que de costume. Olhe bem nos seus olhos - você vai ver o que estou falando. Que ela esconde mistérios de você. Que não é mais aquela de antes. Que mudou completamente.

Mas calma, nada de pânico. Não escrevo esta carta para causar brigas ou desesperos. Ao contrário, acho que o casamento de vocês ainda tem jeito. Basta você dar mais atenção a ela. Elogiar algo nela mais habitualmente. E ter mais respeito pelos problemas dela, bem mais.
Enfim, se eu fosse você, ficaria de olho na sua mulher. Porque ela é especial - isso você sabe.

Assinado: Anônima

6 comentários:

Marcia disse...

Hummm...
Oi Aninha... meu humor não está p/ comentar esse texto hj não.
Amanhã, eu volto!
Bjks,

Katia Bandeira disse...

Acho que é Fernanda Young, né?
Ela manja...rs...
Não acho que seja nem mais nem menos...é isso mesmo!
Vida a dois não é fácil...Mas rir dessa dificuldade é uma boa saída
Bjs

Aninha disse...

É dela, sim, Katita, o nome da autora está na imagem. Só que ela assina a carta como "Anonima".

Carol Maria disse...

Bom texto, boas verdades. :*cas

Segunda a Sexta disse...

Gostei do texto, muito reflexivo... até o último parágrafo. Joga na cara todas as mudanças que as pessoas sofrem (num relacionamento) para o leitor.

Mas o último parágrafo é desesperador demais para quem lê. Pede-se o que, se for dado por pedido, não preenche o vazio de quem pede.

(experiência própria!)

Beijo!

Renato Brito disse...

Excelente texto, mas deveria ser publicado na Playboy, pq os homens nao leem Claudia. rsrsrsrsrsrsrsrs
É exatamente isso!