sexta-feira, 1 de junho de 2007

Obá

Tenho dado uma atualizada (lenta) nos filmes, relegados quando passei por épocas de vacas magras. Elas hojes estão esbeltas, por isso degavar, volto ao assunto. Os últimos vistos:

Xeque-mate (Lucky number slevin) . Paul McGuigan , 2006: Assim como eu, quem gostou de "Snatch" e de "Jogos, trapaças e dois canos fumegantes", ou ainda dos filmes "Ocean's 11/12/13", (se é que alguém já teve a sorte de ver o último...) vai gostar desse, de graça. Não tão bom como os citados, mas fiel seguidor das reviravoltas e piadas bem sacadas. Além do que, o filme conta com Morgan Freeman e Sir Ben Kingsley em papéis magníficos e eu ainda não sei como estes caras não trabalharam mais juntos. Há um só porém: se o menino do começo do filme não fosse tão parecido com um dos personagens posteriores da trama...



O ilusionista (The illusionist) . Neil Burger , 2006: Tem Edward Norton. E que me perdoem os atores de sua geração, melór mesmo só Depp. E ainda, Paul Giamatti. Gosto do Paul desde sempre, desde quando ele fazia filmes pra tv americana para pagar as contas, desde que "Sideways" ainda não tinha acontecido da vida dele. E Norton e Giammatti rendem as seqüências mais bacanas, também precisam trabalhar de novo juntos. Apesar disso, basta atentar um pouco mais que o roteiro mostra suas pontas soltas (propositais?), e dá pra sacar o filme, no máximo, 40 minutos antes de acabar e tuuudo se revelar, ó. Sinto muito, mas Romeu e Julieta é batido demais, sorry. Apesar dos pesares, o filme é bem bacana, fotografia belíssima mesmo, ambientação de época sem exageros e a sinceridade em admitir que o que o cara faz mesmo são truques, ilusão de ótica pura, e no fim, bem simples (vide os gráficos explicando a árvore de laranjas).

O grande truque (The prestige) . Christopher Nolan , 2006: É quase impossível assistir "O ilusionista" e não correr de volta pra locadora para pegar este. E vice-versa. Como às vezes acontece em Hollywood, os roteiros se influeciam ou são copiados na cara dura por produtoras ou diretores rivais. (Alguém lembra de "Madagascar" e "Selvagem"? Eu, se fosse da Dreamworks, processaria a Disney grandão.) Enfim. Calhou que estes foram lançados quase simultaneamente e fica difícil não compará-los, posto que usam do mesmo tema e ainda são ambientados em épocas próximas. De novo, foco o elenco. Um filme que tem David Bowie no elenco, não pode querer ser levado a sério. Ainda mais Bowie de terno e bigode... hilário, no mínimo. Respeito o cara, e só. Músico. E só. Mesmo que Sir Michael Kaine participe ativamente como competente coadjuvante no fime todo (mas entediadíssimo, pode prestar atenção), e Hugh Jackman mantenha o bom nível de interpretação de sempre, e Christian Bale tenha deixado todos os sentimentos guardados n'alguma gaveta em casa, o diretor mostra um baixo desempenho extremamente decepcionante para quem fez "Memento" ou até mesmo "Batman begins", já que "O grande truque" tinha a oportunidade de ser um filme mais modesto, menos fantástico, mais racional. Cansativo, apesar de interessante. E só.

6 comentários:

Ggel disse...

Vixe Pequena, se você acha que está desatualizada, eu nem sei o que estou...o último filme que eu vi foi...deixe-me pensar...acho que foiu MInha mãe quer que eu case, mas não tenho certeza se foi esse...rs...que péssimo, hein?
Anotado...adoro suas dicas.
Beijo

Shu disse...

Bella, eu ia deixar pra comentar depois quando tivesse tempo para comentar todos os posts atrasados...rs..mas..nao me contive porque "The Prestige" foi o melhor filme que assisti esse ano. O pessoal comenta que eh muita fantasia, mas se vc prestar atencao bem...vai perceber que eh tudo muito logico...no final o cara fala..."a gente quer sei feito de trouxa, a gente nao quer pensar" e todo mundo pensou que o bagulho funcionava mesma...rs...depois a gente conversa no msn....estava esperando alguem assistir pra trocar teorias...que estavam guardadas...hahaha
Beijinhos Bella

Marcia disse...

Oi Caroleta!
Não assisti ao primeiro. Mas já anotei, vou passar na locadora e pegar.
Mas entre o Ilusionista e o Grande truque, gostei mais do segundo. Ao contrário do que vc achou, amei ver Bowie novamente em filme, achei a idéia bem louca... e afinal, descobre-se que o cara era malucão mesmo.
O ilusionista revela-se muito antes do final... achei bobinho.
Mas enfim, é assim mesmo.
Vou querer participar do bate-papo com a Shu sobre o filme, hein?
Bjks,

Carol Maria disse...

Pode deixar meninas, ;) .

Aninha disse...

Meu, nem peguei mais filmes... Anotadas as sugestões.
Aqui em Floripa abribram trocentas salas de cinema nos 2 shoppings novos (você acompanha na TV as maracutais para a construção dos shoppings nos jornais nacionais com o nome "Operação Moeda Verde"!) e estou tentando pegar os dias de promoção para ver alguns filminhos no cinema, tb... Vamos ver se rola.
Abraço.

Renata disse...

Carol, vc não vai acreditar...rs

Um desses eu assisti!...kkkk
Nunca posso falar nada, por nunca ter assitido.
Assisti a Xeque Mate no cinema e gostei muito. Os atores parecem muito entrosados e tudo flui muito bem com as reviravoltas nos surpreendendo sempre.

Os outros dois, sei que já assistiram aqui em casa, mas eu não vi. Fiquei curiosa nesse Grande Truque.

Ótimas dicas, pra variar, né?

Beijinhos,