domingo, 26 de novembro de 2006

A Vida

A maioria dos namoros têm início na igreja, no trabalho, na escola, no clube. Um oi, um prazer em conhecê-la. Depois minha deusa, minha rainha, minha princesa, minha gata, e surge o amor.
O encontro, o namoro, o beijo, o palpitar do coração iniciando a vida a dois. Duas vidas, duas personalidades, dois temperamentos: você a ama, ela o ama. Siga em frente, sinal verde ao amor, mas juízo: pois diga-me com quem andas, que te direi quem és, veja onde vai levá-la; ela é linda, uma boneca real e divina, por isso mesmo trate-a bem, com amor, carinho e prudência. Ela é tua rainha, mas você não é rei, nem tem castelo.
A base para construir uma família é participar de uma família. Neste texto o homem é o entrevistado. Se houver amor o homem pensará em constituir uma família e dificilmente agirá por instinto humano imbecil. A mulher, uma criatura frágil, vai iniciar um namoro, um amor, um primeiro amor. Tão bela, tão linda e merecedora do amor nobre, um amor sem hipocrisia, um amor sagrado.
O texto "seremos felizes" terá a total ênfase: "eu te amo, tu me amas", a mulher fica mais bela sorrindo dez vezes ao dia, vivenciando o amor no mais lindo dos textos: "a vida!"


*** Este é um dos muitos textos do meu mais novo colega, a sensibilidade em pessoa: "Tião Veríssimo", escritor e pesquisador.

7 comentários:

Ggel disse...

Veja só o texto do Tião...não precisamos de muito para sermos felizes, não é? Quem dera pudessemos ter essa visão, sempre...lembrar disso sempre. Acho que seriamos bem mais felizes, não é?
beijos

nana disse...

Bjs e fique com Deus. Boa semana.

Marcia disse...

Oi Pri... realmente, a base para construir uma família é participar de uma.

Bjks

Visão disse...

É realmente, por isto é que não pretendo ter filhos por não ter uma família!

k. disse...

É uma visão do amor romântico. Anthony Giddens: As Transformações da Intimidade. Right now.
Mulheres "frágeis"?! O Segundo Sexo, Simone de Beauvoir. Depois do Giddens.
risos. Desculpa, sou antropólogo e chato mesmo.

Aninha disse...

À Pri, parabéns pela gesto na valorização das idéias do seu Tião.

Ao seu Tião, parabéns pela sensibilidade e doçura ao tratar da mulher e da família.

Carol Maria disse...

Ótimo texto mesmo, mas perdi: quem é o figura¿ :*cas