sexta-feira, 13 de abril de 2007

Filmes que me fizeram fazem bem à alma (leia-se: chorar de baldada)

Magnólia, de Paul Thomas Anderson, 1999: Primeiro: tem Philip Seymour Hoffman. Gosto dele desde de "Twister", e não consigo não gostar do trabalho do cara. Depois, o filme é de uma sensibilidade cruel, mal comparando, é como "Crash", fala sobre a realidade (mesmo que a chuva de sapos seja inacreditável, acontece mesmo, sabiam?!) de maneira crua, sem retoques. Quem me conhece sabe o que quanto eu tenho pavor do Tom Cruise: acho que é um ator raso e sem diferença de papéis. Mas aqui, na cena que o cara está ao lado do pai moribundo, tenho de tirar o chapéu, ficou bonito, cena tocante. Mas todo o resto do filme compensa mais.

Fale com ela (Hable con ella), Pedro Almodóvar, 2003: Almodóvar não precisa de muito para me emocionar, seja para o riso seja para o choro. Mas este filme, 'taqueopariu! Só de lembrar a cena de Rosario Flores toreando ao som de Elis Regina... putz. E a amizade dos caras (o primeiro filme de Pedro com temática masculina, todos os anteriores são essencialmente femininos - e não feministas) que têm suas amadas em coma no mesmo hospital, e como eles se compreendem, e como um deles perdoa o outro por uma barbaridade cometida e faz o impossível para salvá-lo... ah, maravilhoso.

À espera de um milagre (The Green mile), Frank Darabont, 1999: Tom Hanks é outro também que eu já gosto de graça. No papel do policial humano mas endurecido pela realidade cruel que vê no corredor da morte onde trabalha, ele está fantástico. Poderia citar aqui papéis bem mais dramáticos de Hanks ("Forrest Gump", "Filadélfia"), mas quando ele faz caras extremamente comuns ("Náufrago", "O terminal") ele fica perfeito, praticamente o cara que esbarra com você na rua. Aplausos também para o ator que faz Tom velhinho.

Mar adentro, Alejandro Amenábar, 2004: Baldes. Litros. Fico dias imprestável de tanto
chorar depois de ver este filme. Soberbo. De longe, um dos melhores da minha vida. Lembro-me que na época que assisti o filme pela primeira vez, ainda em Madri, comentei com amigos a respeito, com as lindas aqui do 7x7 inclusive. Gerei uma onda de "Putz! Chorei feito um bebê!", que vocês não imaginam. Toca fundo no coração da gente, uma coisa. A cena do pai do cara, sozinho no quarto, ao lado da cama vazia...

Menina de ouro (Million dollar baby), Clint Eastwood, 2004: Seguindo a mesma temática do filme acima, este chega até ser divertido em certos pontos, como nas rabugices entre os personagens de Clint e Morgan Freeman e na convivência 'forçosa' de Clint e Hillary Swank.
Na última meia hora, quando ela resolve morrer, chorei de soluçar. Quando ele resolve ajudar, e conta pra ela o que significa a expressão em irlandês, minha gente!, não havia santo na Terra que me acalmasse! Rasguei-me de tanto chorar.


Casa de areia e névoa (House of sand and fog), Vadim Perelman, 2003: Filme imensamente triste, todo mundo se dá mal, terrivelmente mal. Aí os personagens ganham esperança, como a esposa abandonada e orgulhosa que perde a casa para o Estado e não conta pra ninguém e começa a ser flertada por um policial bonitão e bruto. O casal iraniano (iraniano mesmo?) que perde tudo em seupaís e recomeça a vida comprando a casa da tal mulher num leilão. Mas tudo que é bom dura pouco, um coisa puxa a outra, a infelicidade de um se contamina no outro e vira tudo uma bola-de-neve pavorosa. Muito bem dirigido, o elenco soube demonstrar todas as sutilezas das tristezas presentes, e da solidariedade que ainda há na humanidade, quando o personagem de Sir Ben Kingsley abriga o de Jennifer Connely, aí a esposa dele tenta salvá-la, mais uma vez (mesmo que ela tenha aparecido agressiva para eles). O amor imenso dele pelo filho e pela esposa e o ato de desepero que comete pelos dois. E Jenniffer encontrando o casal pela última vez... tristíssimo mas belíssimo. Filmaço.

8 comentários:

Dani disse...

Oi Carol!!! Ja anotei os q nao vi pra ver!!!
Menina de ouro, Mar Adentro e A espera de um milagre tb me fizeram chorar de soluçar!!! Faltou so um filme na lista... q sempre me faz chorar mto... Cidade dos Anjos!!!
Beijos, Dani

Ggel disse...

hahahahaha...como é que você conta o final do filme?

Aninha disse...

Ai, Carol, minha primeira ação do dia, inspirada e com trocentas letrinhas: comentar teu post. Primeira consequência de minhas ações no dia: travou o computador e tive que desligar, mesmo tendo por hábito selecionar e copiar o texto, para caso travasse só o programa. Desculpa, querida. Fiquei empolgadíssima com teu post. Assim, volto outra hora, pois ainda tô p* da vida...

nana disse...

Eu soh vi A ESPERA DE UM MILAGRE. Apesar do livros ser mil vezes melhor, o filme naum deixa a desejar em momento nenhum. Passo para desejar boa semana. Fique com Deus.

Marcia disse...

Oi Caroleta,
Corcondo com alguns e discordo de outros.
Com certeza Mar adentro e Casa de Areia e névoa são de me fazer chorar muito, dói no coração tudo que acontece. Um com ternura o outro com dor profunda.
Tom Hanks é 'O' cara mesmo e esse filme é muito bom (concordo com Nana - o livro é melhor). Ainda esse fds, peguei na mão de novo para alugar, mas acabei deixando (coincidencia vc falar dele...)
Fale com ela, ainda não o vi (pode uma coisa dessas?). Sabe daqueles filmes que ficam te chamando e por um motivo que não consigo entender, ele não vem pra sua mão? Ainda fico me devendo esse.
Quanto a Menina de ouro, prá mim esse filme foi muito decepcionante. Não me emocionei o tanto que deveria pq achei prá lá de chavão. A direção do Eastwood me decepcionou demais. Enfim, talvez não fosse o dia de assistir a esse filme, sei lá.
Mas enfim, como sempre, seus posts de filmes são maravilhosos.
Saudades,

Carol Maria disse...

Ggel, são filmes antigos, a humanidade inteira já viu, ;) . :*cas, linda.

Carol Maria disse...

Nana e Marcita, tenho 'm não sei quê'que me impede de ler Stephen King, nunca passo da 5ª. página. Mas "À espera de um milagre" e "O iluminado" eu vou ler, nem que tenham de me trancar num quarto só com os tais livros uma garrafa d'água e um penico, rs. :*cas

Renata disse...

Eu pra variar, estou por fora da humanidade, pois o único desses que vi foi "À espera de um milagre" que sem dúvida considero ótimo, mas também prefiro o livro como já disseram acima.
Se essa lista de filmes fosse minha, não poderia faltar "Tomates verdes fritos" em que eu não conseguia parar de chorar no final.

Sobre ler Stephen King, é muito bom...é um dos meus favoritos. Já li quase todos.

Beijinhos,