segunda-feira, 23 de abril de 2007

Admiração

Oi galera,
Eu admiro pessoas que conseguem passar por grandes provas e "sobreviver".
Admiro mães que perdem seus amados filhos e conseguem continuar levando a vida.
Esses dias, conheci um blog que me tocou profundamente: Marinheira e seus dois meninos. É o blog da Renata, mãe do Vinícius, que faleceu a poucos dias, vítima de leucemia. Ela se expoe de uma forma tão aberta e franca, colocando suas dores no blog de uma forma tão simples, tão perto. Dói muito ler o que ela descreve, mas ao mesmo tempo, fico encantada de perceber como ela é uma mulher forte, que leva a vida de cabeça erguida, sem lamentos. Agora, ela está com um outro blog, o "Pequeno Marujo" pois está grávida do Gabriel, que em breve estará no seu colo para alegrar um pouco mais seus dias.Mas dá gosto de ler como ela está levando essa barra.
Uma mulher de fibra. De coragem. Me arrepio só de escrever essas pequenas linhas sobre Renata. Que Deus a abençoe sempre e ilumine cada um dos seus dias.

Marcia

7 comentários:

Sissi disse...

ai que indecisão... se vou ou não ler o blog... já sinto que vou chorar...
mas sabe, também admiro essas pessoas que enfrentam a dor com sabedoria. sofrem sim, mas conscientes.
não gosto de quem acha que aquele sofrimento só veio para si, que só acontece consigo, que isso que aquilo.

Marceleca® disse...

Cara... às vezes faço a linha durona, às vezes me derreto feito manteiga em dia quente... Qdo li esse blog, parecia que uma ponta de ferro quente atravessou meu peito... Caraca, como é difícil pensar que uma criança tão pequena pode simplesmente morrer... Chega a ser injusto!!!

Ggel disse...

Nem imagino o que eles devam estar sentindo. Não sou mãe, mas sou uma tia bem presente e se um dos meus pequenos tivessem qualquer coisa semelhante, eu com certeza, me acabaria de tanto sofrer. Antes eu do que qualquer um deles.
Realmente nós somos mais fortes do que imaginamos, né?
Muita força para a Renata e seu Gabriel que está por vir :)
Beijim

Carol Maria disse...

Imagino como seja. Perder a mãe é barra, dói profundamene, o lado de lá então, deve ser horrendo também (sempre ico imaginando como meu avô se sente até hoje, depois de quase 6 anos). Vou ler, mas quando tiver tempo pára chorar baldes, rs. :*cas

Buratti disse...

Engraçado... li este blog há alguns dias, antes de vir aqui.
Tive a mesma sensação que vc.
Uma grande pessoa a Renata!

Bjs!

Aninha disse...

Olha, eu fui lá. Numa corrida, aquela "leitura dinâmica". Mas, ainda assim, não tem como não se emocionar... Cara, que mulher forte. Deus não faz as coisas à toa. Com certeza esse bebezinho estará chegando na "hora certa"! Valeu pela dica, Marcinha.

Renata disse...

Querida! Muito bom seu post!
Tão lindo ver histórias de superação e coragem, né?

Confesso que não consegui ir até o site pra ler o que a moça conta, pois sou muito manteigona e depois foco imaginando que podia ser comigo ou algum ente querido e isso me deixa muito mal, principalmente o nome sendo o mesmo que o meu.
Deus se mostra maravilhoso ao mandar a ela o "pequeno Gabriel" que a fará ter mais alegria para seguir seus dias sem o filhinho que faleceu.

Beijinhos,