domingo, 4 de maio de 2008

"Qualquer maneira de amor vale à pena;
qualquer maneira de amor vale amar"

Ontem Florianópolis, mesmo embaixo de chuva, realizou sua 3a. Parada da Diversidade, com cerca de 40 mil pessoas.
Estava vendo uma entrevista na TV e, pela informação fornecida, a capital foi a última a aderir as paradas, porém, este ano, foi quem abriu o calendário nacional, nesta categoria. A entrevistadora, comentou algo do tipo: "É, um pouco atrasada...". "Não... Bastante atrasada!", retrucou um dos organizadores do evento.
Atrasados ou não, impossível é fechar os olhos para aquilo que "fuja" ao que a maioria considera "normal". E isso não se refere somente à preferência sexual. Afinal, não se trata de uma questão de escolha... Se trata de vida, de liberdade, de direitos.

Em tempo: Já estamos em maio e há menos de dois meses da chegada da Alissa. Nesse meio tempo, tentando concluir um Mestrado... Vamos ver quem nasce primeiro: a filhota ou a dissertação!

6 comentários:

Carol Maria disse...

Pois é Aninha, cada um com seu cada qual, como diz um amigo meu. Pra que eu confie numa pessoa e saiba se ela tem bom ou mau caráter não me faz diferença sua opção sexual, não é aí que reside a índole de alguém; até porque, não é da minha conta do que a pessoa gosta ou não de fazer intimamente... Enfim, tolerância é artigo raro hoje em dia, né. :*cas

Paty Maionese disse...

Acho que todo mundo tem tanta coisa pra fazer em pouco tempo que faria muito melhor se não perdesse tempo e consequentemente dinheiro, como diria a máxima capitalista, cuidado na opção sexual do outro.

E quanto à chegada da baby, ideial seria que ela e dissertação nascessem praticamente juntas. Já pensou na felicidade?! =)

Marcia disse...

Oi Ana.
Pois é amiga... como diz a Carol, cada um com seu cada qual...

Mas que bom que Alissinha tá chegando!!! Se prepara mamys!
Se precisar de algo, tiver alguma dúvida ou qq coisa, me chama, tá?

Bjks querida!

lourival disse...

Pois é! Convivemos praticamente nosso dia a dia, com todo ser humano, independente de sexo, raça ou credo. Seja na familia, trabalho, escola,etc. Porém os preconceituosos, ignorantemente, acham-se exclusivos, quando na verdade deveriam ser excluidos, já que o livre arbítrio "prevalecem" somente para eles.
montanhafather.zip.net

geny_tavares disse...

Isso mesmo Aninha, o importante é amar e ser correspondido...não importa por quem. E viva a diversidade e o respeito ao próximo :)
beijo

Juliana disse...

Respeito à diversidade é essencial. Respeito às diversidades em todos os âmbitos, respeito ao que nos une: ser humano.

Estou movimentando uma discussão sobre sexualidade em meu blog. Passe por lá depois.

Beijos, Aninha! O barrigão deve estar enorme!